comportamento

Quão empático você realmente é?

Publicado em: 9/11/2020

Ronald E Riggio, Ph.D – Psychology Today – EUA

 

Teste que tipo de empatia você possui.

photo-1539541417736-3d44c90da315

Você pode se considerar alguém muito empático. Você tem um “coração” e se preocupa com os outros quando passam por infortúnios. Mas a empatia é mais complexa do que apenas se preocupar com os outros. A pesquisa sugere que a empatia pode assumir diferentes formas e que existem três tipos importantes. Vamos ver que tipo você possui.

Responda às perguntas abaixo indicando números de 1 a 5, usando esta escala: 1 = “Não me descreve bem”; 5 = “Me descreve muito bem”

1- Às vezes, tento entender melhor meus amigos, imaginando como as coisas são do ponto de vista deles.

2- Antes de criticar alguém, procuro imaginar como me sentiria se estivesse no lugar dela.

3- Quando estou chateado com alguém, geralmente tento “me colocar no lugar dela” por um tempo.

4- Em situações de emergência, fico apreensivo e pouco à vontade.

5- Quando vejo alguém que precisa desesperadamente de ajuda em uma emergência, fico em pedaços.

6- Às vezes me sinto impotente quando estou no meio de uma situação emocional.

7- Quando alguém está chateado ou com raiva, acho que isso me deixa chateado ou com raiva também.

8- Frequentemente, tenho sentimentos ternos e preocupados por pessoas menos afortunadas do que eu.

9- Eu me descreveria como uma pessoa de bom coração.

10- Muitas vezes fico muito comovido com as coisas que vejo.

Racionalmente empático. Às vezes referida como “empatia cognitiva” ou “tomada de perspectiva”, esta é uma forma intelectual de empatia na qual você entende o que as outras pessoas estão sentindo e decifra seus sentimentos ao se ver na situação delas. Os itens 1 a 3 acima medem essa forma racional de empatia. Pontuações altas sugerem que você é bom em ver as coisas da perspectiva dos outros, mas é uma forma mais cognitiva / intelectual de empatia: “Eu vejo sua dor.” Embora esta seja uma característica importante – ver as coisas da perspectiva dos outros – não é o que um indivíduo emocionalmente angustiado pode estar procurando.

Emocionalmente vulnerável. Este é o tipo de empatia que se caracteriza pela frase “Eu sinto sua dor”. Esta forma de empatia é às vezes chamada de “angústia pessoal” e envolve o processo bem documentado de “contágio emocional”. Algumas pessoas são simplesmente mais propensas a esse processo de contágio emocional e, quando um amigo ou ente querido está sentindo dor, tristeza ou qualquer outra emoção (até mesmo felicidade), uma pessoa emocionalmente vulnerável experimenta indiretamente essa mesma emoção. Os itens 4 a 7 acima medem esse tipo de empatia.
O problema com a vulnerabilidade emocional é que, embora você possa compartilhar o estado emocional do outro, pode não ser capaz de ajudar a resolvê-lo (se for uma emoção negativa). Em vez disso, os dois indivíduos simplesmente compartilham o estado negativo (ou positivo).

Preocupado com empatia. Os itens 8 a 10 avaliam a preocupação empática, que é o que pensamos com mais frequência quando imaginamos uma pessoa que é empática, apoia e nos ajuda a lidar com emoções difíceis. Esse tipo “ideal” de empatia envolve a cabeça e o coração: vemos o sofrimento do outro, estamos preocupados com isso e queremos ajudar.
Anos atrás, realizamos um estudo com enfermeiras de hospícios que cuidam de pacientes em estado terminal. O que descobrimos foi que possuir o terceiro tipo de empatia – preocupação empática – estava positivamente relacionado ao desempenho das enfermeiras, mas o segundo tipo – ser emocionalmente vulnerável – estava negativamente relacionado. Concluímos que, se as enfermeiras do hospício sentissem a dor de seus pacientes (e também a angústia de seus familiares), isso as tornaria menos capazes de realizar seu trabalho de fornecer conforto ao paciente e à família, porque também tinham de lidar com suas próprias emoções.
Todos nós temos algum nível de cada um dos tipos de empatia. A chave é compreender as maneiras como somos empáticos com os outros e perceber os pontos fortes e as limitações de cada tipo de empatia.

Comentários

Powered by Facebook Comments