adega

Serra da Mantiqueira, um novo polo de vinhos no Brasil

Publicado em: 9/10/2020

Arthur Azevedo

 

COM O DESENVOLVIMENTO DE NOVAS ÁREAS DE PRODUÇÃO, EM DIFERENTES ESTADOS, O VINHO BRASILEIRO VEM GANHANDO A CADA DIA NOVOS ADEPTOS

IMG-4040

Com a pandemia, o vinho se tornou um companheiro constante da quarentena dos brasileiros e as dificuldades encontradas pelos vinhos importados, seja por problemas de logística, seja pelas alterações cambiais, acabaram por criar uma excelente oportunidade para os vinhos aqui produzidos.

Os números demonstram isso de forma muito clara, com um expressivo aumento de 30% nas vendas dos vinhos brasileiros, que souberam aproveitar o bom momento e ocuparam no coração e mentes dos consumidores um lugar que sempre pertenceu aos vinhos importados.
Justiça seja feita, houve uma sensível melhora de nossos vinhos, que foram beneficiados por três ótimas safras consecutivas, a saber, 2018, 2019 e 2020, esta última considerada a safra das safras por enólogos e críticos de vinhos.
Uma fato que vem chamando a atenção de quem acompanha o mercado é o surgimento de um polo de produção de excelência nos Estados de São Paulo e Minas Gerais, na área da Serra da Mantiqueira, área que no passado nunca foi vista como sendo propícia para o cultivo de uvas viníferas de alta qualidade.

As dificuldades para a maturação das uvas eram evidentes, além do fato de a colheita coincidir exatamente com a maior incidência das chuvas de verão, nos meses de fevereiro e março.

IMG-4110

Tudo começou a mudar graças à sagacidade de um pesquisador da Epamig, o ramo da Embrapa – uma das mais sérias instituições de pesquisa em agricultura e produção animal do Brasil – em Minas Gerais, Murilo Regina, que em Caldas desenvolveu uma técnica pioneira em viticultura, denominada dupla poda, que consiste em “enganar” o ciclo produtivo da videira, fazendo uma segunda poda no início do ano, o que faz com que a colheita seja feita no inverno, fora do período de chuvas.

A estratégia se revelou muito acertada e regiões que antes só conseguiam elaborar vinhos com uvas não viníferas e apropriadas para produção de suco de uva e não para vinhos de qualidade, pudessem plantar mudas de uvas viníferas como Syrah (Shiraz),Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Chardonnay e Sauvignon Blanc, entre outras, que deram origem a vinhos muito interessantes, que vêm fazendo muito sucesso em todo o mundo.

Alguns exemplos desse sucesso podem ser encontrados bem perto de São Paulo, em cidades como Andradas, Espírito Santo do Pinhal e Itobi.
Em Andradas está situado em dos mais completos centros de enoturismo do Brasil, a Casa Geraldo, vinícola que impressiona não só pela qualidade de seus vinhos como pelas modernas instalações e pela maneira como recebe os visitantes, num esquema de visitas só encontrado nas melhores vinícolas.

IMG-4076

Iniciando com uma caprichada apresentação do projeto de implantação e da história da Casa Geraldo, o visitante embarca numa deliciosa visita aos vinhedos numa simpática “jardineira” antiga restaurada, com direito a várias paradas no trajeto para ver de perto as videiras e degustar alguns vinhos, seguida de um tour pela vinícola, conhecendo os equipamentos usados para a produção dos vinhos e provando vinhos direto dos tanques e também das barricas, estas acomodadas numa sala climatizada muito bem planejada.

A visita se completa num caprichado almoço no espaçoso e moderno restaurante, onde as pessoas poderão conhecer as delícias da cozinha mineira e internacional. Um programa muito divertido para toda família, que tem ainda à disposição uma loja onde os vinhos ali produzidos poderão ser adquiridos, além de especialidades típicas da região de montanha de Minas Gerais.

Programa semelhante pode ser encontrado na Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal, vinícola que produz vinhos de alto padrão, reconhecidos no Brasil e no exterior, inclusive ganhando a capa de revistas muito importantes como a Decanter, inglesa, que em sua mais recente edição trouxe em destaque o Syrah Vista da Serra 2017.

Outra vinícola que vem ganhando destaque é a Casa Verrone, que está em fase de conclusão de um moderno centro de recepção de turistas em seu vinhedo de Itobi. As especialidades em destaque são a Syrah, a Chardonnay e a Sauvignon Blanc.

E estes são só alguns exemplos, vem muito mais por aí. Atrações não faltarão para os amantes do vinho nos próximos tempos.

Arthur Piccolomini de Azevedo é Vice-Presidente da Associação Brasileira de Sommeliers-SP, consultor da Artwine (www.artwine.com.br), palestrante, educador em vinhos e consultor. Siga-nos no Instagram @artwine

Comentários

Powered by Facebook Comments