educação

Ensino a distância: 6 dicas para estimular seus filhos

Publicado em: 13/10/2020

Laura Markham, Ph.D. – Psychology Today – Estados Unidos

 

O GUIA PARA VOCÊ ENGAJAR E MOTIVAR SEUS FILHOS

3975155

Temos duas prioridades com esta reportagem:

• Engajar seu filho oferecendo a ele mais controle e autonomia, e o ajudando a se sentir mais próximo de outros estudantes.

• Motivar seu filho organizando o espaço de estudo e o cronograma de forma a mantê-lo focado, para que ele comece a aproveitar o sentimento de controle e competência.

Aqui está seu guia.

1. Conscientemente crie oportunidades para que seu filho se conecte com outras crianças.

Um dos motivos para que as crianças que estão desenvolvendo o ensino à distância se sintam desmotivadas é o sentimento de isolamento em relação aos colegas. Crianças gostam de se sentir parte de grupos e naturalmente se engajam em trabalhos escolares quando outras crianças participam, então encontre formas de lidar com esse sentimento.

• Encontre um colega de estudos: agende um horário regular com outra criança que esteja na turma de seu filho para que possam se encontrar em videoconferências e realizar as tarefas juntos, ou realizar perguntas um para o outro. Você pode também estimular pesquisas que não foram propostas pelos professores, mas que fortalecerão a relação entre as crianças e favorecerão o aprendizado. Por exemplo, você pode agendar um encontro entre seu filho e o colega para que eles conversem sobre o livro que estão lendo para a escola, ainda que o professor não tenha proposto essa atividade. Essa atividade pode aumentar o envolvimento de seu filho com o livro e com a leitura em geral.

• Compartilhe com algumas famílias vizinhas para que seus filhos possam se reunir e estudar juntos (utilizando máscaras e mantendo o distanciamento, e se possível em ambientes abertos). Chame esse encontro de grupo escolar, e garanta que haja sempre um momento para um lanche divertido.

• Encontros para brincar por videoconferência podem ajudar a fortalecer a amizade das crianças, então aquele colega pode se tornar mais um amigo e seu filho pode se interessar mais em aprender de forma colaborativa com ele. Por isso, mesmo que você não queira seu filho jogando Minecraft o tempo todo, algum tempo com os colegas de turma pode ajudar seu filho a se sentir conectado com a escola.

2. Crie um ritmo diário com uma rotina.

Se você não tem uma programação, cada momento se torna uma oportunidade para uma luta pelo poder sobre o que vem a seguir. As rotinas substituem o caos pela garantia de que a vida está se desenrolando como deveria. As rotinas também desenvolvem o córtex pré-frontal, à medida que a criança sabe o que esperar. Finalmente, as rotinas ajudam as crianças a administrarem a si mesmas em tarefas menos interessantes porque elas têm algo positivo pelo qual esperar.

• Crie um começo claro para os estudos a cada dia. Faça as crianças se prepararem como se estivessem indo para a escola, em vez de ficarem deitadas na cama com pijamas. Deixe seus filhos se revezarem para tocar a sinal todas as manhãs para começar o dia. Se seu filho resistir, defina um alarme com um tom estimulante e, quando tocar, diga “Ah, aí está o sinal, agora é a hora da escola!” (As crianças aceitam mais as ordens vindas de um sinal do que dos pais).

• Se você quiser que seu filho siga o cronograma, deixe-o ajudá-lo a planejar a rotina. As crianças precisam de uma programação que seja fácil de entender, o que significa que deve ser apresentada visualmente com fotos e cores.

• Limite o trabalho escolar a não mais do que duas horas e meia distribuídas ao longo do dia.

• As crianças precisam de uma pausa a cada 10-30 minutos para se movimentarem. Limite os estudos a períodos curtos de não mais que meia hora, alternando com intervalos frequentes para atividades de reabastecimento. Mesmo esses períodos de meia hora de atividades podem exigir várias pausas de três minutos – para fazer alguns alongamentos com você, pegar um copo d’água ou tocar uma música e dançar.

• Os períodos de reabastecimento incluem abraços, diversão ao ar livre, danças, arte, artesanato, culinária, experimentos científicos divertidos, fazer “invenções”, brincadeiras sensoriais, brincar de forma livre, ler para a criança e, também, tempo especial com um dos pais. Certifique-se de incluir pelo menos três horas por dia desses períodos de reabastecimento. Esse é o gás que mantém seu filho em condições estressantes.

• A conexão com seu filho é sua arma secreta para mantê-lo na linha, então a incorpore em sua rotina ao longo do dia, com tempo especial, aconchegando-se para lerem juntos e jogando o jogo favorito dele.

3. Mantenha o tempo de exposição às telas de computadores no mínimo.

Não espere que seu filho faça as atividades escolares nos horários em que costumava estar na escola. Embora os jogos de matemática e alguns outros programas de aprendizagem interativos possam ser divertidos e motivadores, ensinar crianças por meio de uma tela não é adequado ao desenvolvimento até que as crianças sejam adolescentes. Muitas crianças não conseguem passar muito tempo em videoconferências e ficam estressadas e irritadas.

Para aqueles momentos em que seu filho precisa ficar conectado, ensine-o a desligar o som e o vídeo sempre que precisar de uma pausa. Avalie o que seu filho pode suportar e o que a escola exige para encontrar o ponto ideal para ele.

Mother overlooks as her son uses his laptop to study in their kitchen

4. Use um sistema de responsabilidade que permita que seu filho desenvolva a autonomia.

A autonomia é boa para a motivação de seu filho e evita conflitos que envolvam a disputa de poder. Algumas famílias usam uma lousa para que a criança faça uma lista e marque as tarefas a serem realizadas.

Você também pode usar um cartão para cada assunto. Seu filho é responsável por preencher seis cartões em um dia e os trazer para você sempre que terminar uma tarefa, para verificá-los. Além das tarefas regulares, você pode adicionar outras que deseja incentivar. Pessoalmente, prefiro o sistema de fichas porque acho menos opressor para as crianças ver uma pilha de fichas do que uma longa lista de verificação escrita em uma lousa. Também é motivador ver a pilha diminuir de tamanho e saber que depois de preencherem três fichas, eles serão recompensados, por exemplo, com um tempo especial com um dos pais.

Deixe seu filho escolher o que completar e quando. Eles querem abordar seu assunto mais difícil primeiro ou deixá-lo para o fim? Essa é uma escolha deles.

Se seu filho resistir, pergunte-lhe quantos minutos ele pode dedicar a esta primeira tarefa antes de fazer uma pausa, e o que ele quer fazer durante esse intervalo. Programe um cronômetro – digamos que sejam 10 minutos – e depois faça uma pausa de três minutos onde você faz algo ativo ou sensorial (soprar bolhas ou alguma outra brincadeira).

5. Crie um espaço que sinalize o aprendizado.

Da mesma forma que as camas induzem ao sono, ou os pratos na mesa sinalizam que é hora de comer, seu filho precisa de um local de estudo que o lembre de que é hora de estudar. Mantenha todo o trabalho e suprimentos do seu filho neste local ou em uma caixa que será movida para este local enquanto seu filho estiver estudando. Limpe a desordem e as distrações do espaço de trabalho de seu filho.

Algumas crianças podem trabalhar por conta própria, mas a maioria precisará ter sua estação de trabalho configurada bem perto de um dos pais, ou não conseguirá manter o controle. Portanto, se você tem o tipo de trabalho que permite que seu filho fique sentado ao seu lado por algumas horas, é provável que obtenha grandes ganhos na capacidade dele se manter atualizado com as atividades escolares.

Preste atenção à ergonomia para que o desconforto não distraia seu filho. Isso significa que, se você puder, mova a tela do computador até o nível dos olhos e use um teclado e mouse sem fio para que os cotovelos fiquem em um ângulo de 90 °. Muitas crianças adoram ficar em pé na frente dos computadores, porque elas podem se mover enquanto se entretém com a tela. Para alguns, porém, ficar em pé é meio caminho andado para outras atividades que distraem. Permanecer sentado pode ser, então, uma melhor opção.

Ajude seu filho a desenvolver o hábito de armazenar papéis em pastas etiquetadas em uma caixa, ou algum outro sistema que organize seu trabalho para que nada se perca.

Para crianças resistentes, opte por fazer as tarefas mais difíceis em lugares divertidos: o parque, uma barraca na sua sala, em uma cafeteria tomando chocolate quente, ou em um aconchegante cantinho de leitura.

6. Esteja presente.

É muito difícil ficar ciente do que seu filho está fazendo durante o dia escolar enquanto você está em uma reunião com seu chefe, lendo uma planilha ou supervisionando alguém. Não é provável que alguma criança consiga manter-se controlada sem supervisão.

Desenvolver autonomia nas tarefas escolares é como treinar o penico e ir para a cama – no começo você estava muito envolvido, mas com o tempo seu filho assume cada vez mais responsabilidades e seu envolvimento se torna mínimo. A boa notícia é que, à medida que você dedica seu tempo o ajudando a desenvolver bons hábitos de estudo, ele obtém cada vez mais sucesso, e fica mais motivado e se autorregula em seus trabalhos escolares.

Claro, isso não ajuda você a estar em dois lugares ao mesmo tempo. Se você puder alternar as responsabilidades de cuidar dos filhos com um parceiro, isso é útil para dar a cada um de vocês tempo livre para outros compromissos. Tente agendar suas próprias reuniões quando você sabe que seu filho estará conectado com a classe. Ninguém disponível e você tem uma reunião importante? Prepare seu filho para um encontro com um parente. Eles podem ler uns para os outros, brincar, desenhar juntos enquanto contam histórias ou fazer alguma atividade artística. Faça seu filho ouvir audiolivros (disponíveis gratuitamente online) para que eles possam ouvir com fones enquanto você está em reuniões.

Não há como suavizar essa tarefa. A maioria das crianças consegue se controlar por curtos períodos de tempo com supervisão mínima, mas para ter certeza de que seu filho permanece engajado e se sente motivado com o aprendizado remoto, ele provavelmente precisará de um adulto por perto. Se você está realizando um trabalho ao mesmo tempo, isso é claramente uma tarefa impossível. Portanto, dê a si mesmo um pouco de paz, lembre-se de seus objetivos de longo prazo – e tente encontrar humor em fazer o impossível. Não é justo, eu sei. Mas vale a pena.

Comentários

Powered by Facebook Comments