educação

Pare de sabotar o sucesso do seu filho

Publicado em: 2/01/2020

Marilyn Price-Mitchell Ph.D. -PSYCHOLOGY TODAY – EUA

Como ajudar as crianças a se sentirem competentes e engenhosas

Strict serious teenage girl making stop hand gesture

Os pais costumam perguntar: “Por que meus filhos não são parecidos comigo?” “Por que eles não são organizados, motivados, nem conseguem alcançar os objetivos?” A resposta pode ser mais simples do que você imagina.
Quando muitos adultos se tornam pais de alunos da escola secundária ou ensino médio, eles já dominam habilidades como planejamento, resolução de problemas e organização. Por terem mais experiência de vida e de trabalho, torna-se óbvio que essas habilidades são necessárias para ter êxito.
Mas o sucesso como pai é diferente do sucesso no local de trabalho. Essas habilidades ajudam você a se destacar dos colegas de trabalho numa carreira, além de ajudá-lo a subir a escada do sucesso.

Em casa, as mesmas habilidades podem sabotar o sucesso de seu filho. Como?

Na minha prática de coaching para pais, converso com muitos pais bem-sucedidos que lutam para entender por que seus pré-adolescentes e adolescentes não estão motivados e não sabem como atingir os menores objetivos.
A realidade é que alguns pais são tão bons em ser engenhosos que assumiram inadvertidamente esse papel na família. Como resultado, as crianças não aprendem a se tornar planejadoras, organizadoras e solucionadoras de problemas. Ao invés disso, se tornam dependentes dos pontos fortes de seus pais para realizar essas tarefas por elas.
Muitos pesquisadores se referem a esse problema como “parentalidade helicóptero”. Um estudo recente publicado no Journal of Child and Family Studies descobriu que esse tipo de parentalidade estava vinculado a falta de domínio da criança, baixa autorregulação, sentimentos de incompetência social e depressão.

O que é engenhosidade? Por que é vital para o sucesso do seu filho?

Engenhosidade é a nossa capacidade de encontrar e usar os recursos disponíveis para atingir metas, solucionar problemas e moldar o futuro.
Pesquisas mostram que nossa capacidade de sermos indivíduos engenhosos determina e molda nosso futuro. Que pai ou mãe não deseja que seus filhos sejam criadores conscientes de suas próprias vidas para que alcancem os objetivos desejados?
Notas altas e resultados dos testes não são indicadores confiáveis de engenhosidade. De fato, a maioria de nós conhece graduados brilhantes que lutam para resolver os problemas do dia a dia. Ser engenhoso exige mais do que habilidade cognitiva. É preciso a capacidade de processar informações tanto emocionalmente quanto intelectualmente.
A pesquisa mostra que os alunos engenhosos não são apenas melhores em alcançar metas, mas também respondem melhor sob estresse. Um estudo publicado na Psychology Educational mostrou que o estresse acadêmico impactou negativamente as notas dos alunos que não eram engenhosos, mas não tiveram impacto nas notas daqueles que eram.

1. Modelo de princípios para a resolução de problemas.

Quando as crianças compreendem quatro princípios simples para resolver problemas, aprendem a aplicá-las em todos os aspectos de suas vidas. Ensine seu filho a: 1) entender um problema, 2) elaborar um plano, 3) executar um plano e 4) olhar para trás para avaliar seus esforços. O educador de matemática, George Polya, desenvolveu esses princípios simples em 1945 que, ainda hoje, são considerados a base da solução de problemas.

2. Deixe de lado o perfeccionismo.

Estudos mostram que atitudes perfeccionistas podem interferir na capacidade de uma criança em alcançar objetivos. Os pais ajudam os filhos a evitar as armadilhas do perfeccionismo ao se concentrarem no processo de aprendizagem, não apenas no resultado, e ao ajudarem as crianças a estabelecerem metas realistas. Aprenda sobre os sinais de perfeccionismo e maneiras de apoiar uma criança perfeccionista.

3. Envolva as crianças na tomada de decisões.

Quando as crianças estão ativamente envolvidas na tomada de decisões em família, como o planejamento de cardápios, lugar para tirar de férias, quais filmes assistir, quais prestadores de serviços escolher, como dividir as tarefas da família e uma infinidade de outras opções propostas pelas famílias, elas aprendem sobre processos de tomada de decisão, aprimoram habilidades e aumentam a autoconfiança. Além disso, adquirem experiência em debater, negociar e comunicar pensamentos e sentimentos a outras pessoas – todos os aspectos da engenhosidade. As famílias que realizam reuniões familiares regulares ajudam a fortalecer suas habilidades colaborativas e a alcançar metas.

4. Incentive o uso da tecnologia.

Existe uma abundância de tecnologia disponível que ajuda as crianças a se tornarem mais produtivas e engenhosas. Por exemplo, o mapeamento mental pode ajudar as crianças a entenderem melhor os problemas e elaborarem planos visualizando conexões, descrevendo os diferentes lados das questões e determinando os próximos passos. Planejadores eletrônicos, programas de anotações e software de linha do tempo podem ajudar as crianças a realizar seus planos até concluí-los.

5. Promova independência e colaboração.

Embora a independência e colaboração possam parecer opostas, ambas são necessárias para torná-lo engenhoso. As crianças precisam ser capazes de decidir quais tarefas podem ser realizadas sozinhas de uma forma melhor e quais podem beneficiá-las pelo trabalho em equipe. Quando seu filho se confrontar com o próximo projeto de escola ou casa, pergunte a ele que aspectos do projeto podem exigir uma colaboração com você ou outras pessoas e o porquê disso. Quando as crianças lideram o planejamento de seus próprios projetos, muitas vezes gerenciadas pelos pais, elas experimentam em primeira mão o que produz bons resultados e como aprendem com seus erros.

6. Ensine a arte do ceticismo positivo.

Ser engenhoso significa desenvolver a capacidade de analisar várias soluções para um único problema. Também requer uma dose de ceticismo. Quando ensinamos as crianças a serem céticas – a exigir evidências adicionais antes de tomar as alegações de alguém como verdadeiras – também as ensinamos a serem curiosas e engenhosas para resolver problemas. Os pais podem modelar ceticismo positivo em casa, ensinando as crianças a pensar como Galileu e Steve Jobs.

Comentários

Powered by Facebook Comments