adega

Os Elegantes Tintos da Nova Zelândia

Publicado em: 21/10/2019

Arthur Azevedo

Mundialmente conhecida pela excelência de seus vinhos brancos baseados em Sauvignon Blanc, a Nova Zelândia também mostra sua força nos vinhos tintos. A Pinot Noir é a uva principal, mas há muito mais que isso…

 

Stonyridge larose

 

A Nova Zelândia é um dos mais interessantes países do chamado Novo Mundo e desde 1986 vem encantando o mundo com seus vinhos, elaborados com diferentes uvas, especialmente a Sauvignon Blanc, mas neste texto iremos abordar um lado pouco conhecido do país, os vinhos tintos elaborados com uvas de Bordeaux e do Rhône.
Pode parecer estranho para aqueles que pensam ser a Nova Zelândia um país exclusivamente de clima frio, mas a verdade está bem longe disso. Existem vários microclimas na Ilha Norte que são bastante adequados para o cultivo de uvas que necessitam temperaturas mais quentes para amadurecer completamente.
Perto de Auckland, a maior cidade do país, está a Ilha de Waihiki, situada no Golfo de Hauraki, local paradisíaco, com muitas vinícolas, hotéis e restaurantes, que atraem milhares de visitantes durante todo o ano. De paisagem intocada e exuberante, a ilha conta com um relevo acidentado e montanhoso, propiciando a existência de áreas de clima mais quente, onde se cultivam as uvas Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Malbec e Petit Verdot, exatamente as mesmas uvas plantadas em Bordeaux, a famosa região da França.
Outro fator de qualidade para o cultivo destas uvas é a Amplitude Térmica, ou seja, a diferença de temperatura entre o dia e a noite. Como Waihiki recebe ventos frios durante a noite, temos condições perfeitas de maturidade das uvas, com calor de dia e frio à noite, além de um período de amadurecimento mais longo, o que dá origem a uvas de excelente qualidade e textura macia.
A melhor vinícola de Waihiki, e visita obrigatória, é a Stonyridge Vineyards, que elabora o excepcional Larose, um vinho de corte bordalês produzido com as cinco uvas acima citadas, de longa guarda, expressão inigualável e grande qualidade.
Indo um pouco mais para o sul da Ilha Norte, faremos uma parada na região de Hawke’s Bay, muito conhecida pela excelência de seus vinhos de corte bordalês, além de excepcionais vinhos elaborados com a uva Syrah, uma estrela em ascensão na Nova Zelândia.
Aqui, a estrela é uma área conhecida como Gimblett Gravels, cujos solos de pedregulho de excelente drenagem e clima com grande amplitude térmica propiciam ótimas condições para o plantio de uvas tintas.
Os destaques em tinto da região são os vinhos produzidos pela conceituada vinícola Craggy Range, o corte bordalês Sophia, um dos ícones do país e o Le Sol, um Syrah de fina estirpe, e os produzidos pela Te Mata, uma das mais antigas vinícolas da Nova Zelândia,em especial o Bullnose Syrah e o raro Coleraine, este proveniente dos vinhedos mais antigos da propriedade, situados em Havelock North, outra área de excelência em Hawke´s Bay.
Como se viu, a Nova Zelândia é um país a ser conhecido, tanto pela natureza como pelos seus fascinantes vinhos.
Nota do Editor: os vinhos deste artigo estão disponíveis no Brasil pelas importadoras Premium (Stonyridge), Mistral (Te Mata) e Decanter (Craggy Range)
Arthur Piccolomini de Azevedo é vice-presidente da Associação Brasileira de Sommeliers-SP, editor do website Artwine (www.artwine.com.br), palestrante, educador em vinhos e jornalista.

Comentários

Powered by Facebook Comments