adega

As mulheres do Vinho

Publicado em: 27/05/2019

Arthur Azevedo

 

Gabriela Hermann Pötter, da vinícola Guatembú

 

Começaremos nossa viagem pelo mundo feminino no vinho com uma vinícola italiana, a Donatella Cinelli Colombini, que tem uma particularidade muito interessante: na propriedade só trabalham mulheres, em todos os setores da produção do vinho.
Donatella, a proprietária, é personalidade importante na Toscana, mais particularmente em Siena, onde já ocupou o cargo equivalente à Secretária de Turismo e Cultura, que é uma das referências da Toscana para enoturismo e que é sede do famoso Pálio de Siena, a tradicional corrida de cavalos à moda antiga, que ocorre na principal praça da cidade.
Ela iniciou seu projeto próprio, se desligando de sua tradicional família e criando uma vinícola que é hoje uma das mais importantes da Toscana, contando com vários vinhedos espetaculares e um hotel exclusivo para enoturismo e um excelente restaurante, onde podem ser provados dos os vinhos elaborados na vinícola.
Outra mulher do vinho é Sandra Tavares da Silva, enóloga de elite, que já foi Miss Portugal e hoje trabalha em várias vinícolas de Portugal, incluindo sua própria vinícola, a Wine & Soul, em que trabalha com seu marido, o também enólogo Jorge Seródio Borges. Os vinhos de Sandra refletem sua personalidade, se destacando por sua elegância e finesse, traduzindo a perfeita expressão do microclima do Douro. Sandra gosta de brincar com o nome de seus vinhos, uma vez que deu a um deles o nome de Pintas, homenageando seu cachorro, um simpático dálmata.
Ainda em Portugal encontramos outra representativa mulher do vinho, Filipa Pato, filha do grande Luís Pato, um dos grandes nomes de Portugal. Abrindo mão da facilidade de trabalhar com o pai, cuja fama ultrapassa as fronteiras de Portugal, Filipa resolveu partir do zero e criou seu próprio projeto, elaborando vinhos e espumantes de alta classe, baseados em uvas da Bairrada e de Beiras, com destaque para os produzidos com a uva Baga, pouco conhecida fora do país, e de grande expressão.
Mudando de continente e país, vamos para a Argentina, onde o nome de Susana Balbo desponta como uma das mais importantes enólogas em atividade em Mendoza. Susana trabalhou durante muitos anos na conceituada Catena, e em dado momento de sua vida resolveu abrir sua própria vinícola, que graças ao seu talento, competência e criatividade é um sucesso de público e crítica.
Sua propriedade, situada no famoso Cordão de Prata, área privilegiada na Cordilheira dos Andes, é cinematográfica e seus vinhos são reputados entre os melhores da Argentina e muito apreciados pelos brasileiros.
Para finalizar, vamos falar do Brasil, onde uma de nossas regiões vinícolas têm nas mulheres grande parte de sua força e prestígio. Estamos falando da Campanha Gaúcha, região vinícola situada ao sul do país, na divisa com o Uruguai. Ali, não apenas uma, mas cinco mulheres, comandam importantes vinícolas, elaborando vinhos de alta qualidade, especialmente os baseados na varietal Tannat, a mais interessante da região.
Entre elas, destaque para Gabriela Hermann Pötter, engenheira agrônoma e proprietária da Guatambu, vinícola que tem despontado no cenário brasileiro e cujo vinho Rastros dos Pampas Tannat 2018 foi um das grandes estrelas do Guia Descorchados 2019, o mais importante guia de vinhos do Cone Sul, recebendo elogios dos jornalistas presentes ao lançamento do guia.
Todas as produtoras citadas estão no Brasil, a saber: Donatella Cinelli Colombini (Vinissimo), Sandra Tavares da Silva (Adega Alentejana), Filipa Pato (Casa Flora), Susana Balbo (Cantu) e Guatambu (em lojas especializadas e pelo site da vinícola)
Arthur Azevedo é Vice-Presidente da Associação Brasileira de Sommeliers-São Paulo, editor do website Artwine (artwine.com.br), consultor, palestrante e educador em vinhos.

Comentários

Powered by Facebook Comments