adega

A Páscoa, seus pratos e seus vinhos

Publicado em: 19/04/2019

Arthur Azevedo

 

‘‘Bacalhau, chocolate, família e vinho, uma perfeita combinação para a Páscoa. Saiba como melhor aproveitar esse momento muito especial’’

chocolate-e-vinho-getty-1492003851517_v2_1920x1280

Data tradicionalíssima no calendário da família brasileira, a Páscoa possui um especial significado na tradição religiosa e se constitui num oportuno momento para reunir a família em torno à mesa, muitas vezes abastecida com pratos da gastronomia portuguesa, uma lembrança simpática de nossos colonizadores.
Entre os pratos da data, destaca-se o sempre muito apreciado bacalhau, um peixe generoso que costuma se apresentar com diferentes facetas, adaptando-se de modo exemplar aos mais diferentes modos de preparação e um dos raros exemplos de peixe que se harmoniza perfeitamente com vinhos brancos, rosados e tintos.
Uma das maneiras de se pensar em harmonização, além obviamente dos clássicos princípios da enogastronomia, que é bom não desrespeitar, podemos pensar em vinhos portugueses, sempre muito saborosos e nos dias de hoje muito fáceis de se encontrar no mercado brasileiro
Fala-se sempre em Vinho Verde para combinar perfeitamente com bacalhau, e neste caso específico, quem vai se encarregar da compatibilização são os vinhos elaborados com a uva Alvarinho, da sub-região de Monção e Melgaço. Trata-se de vinhos de ótimo corpo e acidez elevada, que são perfeitos para combinar com qualquer receita de bacalhau, sejam as mais clássicas, sejam as mais ousadas e modernas.
Ficando ainda na terrinha, pense em vinhos de bom corpo, tais como os brancos produzidos com a uva Encruzado no Dão, ou os vinhos intensamente minerais do Douro, tanto os brancos quanto os rosados, que hoje estão entre os melhores vinhos daquele país.
Na esquecida Bairrada há uma ótima uva, a Bical, que dá origem a vinhos espetaculares, tanto como solista quanto acompanhada das parceiras Arinto e Maria Gomes. As Bical de Vinhas Velhas estão entre as mais interessantes uvas do Velho Mundo.
Sobejamente conhecidos, os vinhos do Alentejo estão entre os mais conhecidos e acessíveis vinhos de Portugal e nesse caso, espere vinhos intensos, maduros e com bom teor de álcool, estruturados e potentes. Nesse caso, preste atenção no sal, que nunca deve estar em excesso para não brigar com o vinho.
Vamos mudar o ponto de vista. E se a opção for pelos tintos, paixão dos brasileiros? Aí teremos que redobrar o cuidado, pois temos um elemento a mais para pensar, que é o tanino, uma substância presente em grande quantidade nos vinhos tintos e que não se dá muito bem com peixes, especialmente os de água salgada e com pratos com sal em excesso.
Pense em tintos de Touriga Nacional do Dão; de Castelão (ou Periquita) do Alentejo e da Península de Setúbal; de Baga na Bairrada – envelhecidos e em vinhos de Vinhas Velhas ou Tinta Roriz do Douro, também com algum tempo de garrafa. Este escriba prefere os brancos, mas tudo na vida é questão de gosto.
E o ovo, de chocolate é claro, para completar a festa? Sem este símbolo do renascimento a Páscoa não estará completa. Aqui a dica é usar vinhos doces e fortificados, como o Vinho do Porto e o Vinho da Madeira.
Só preste atenção no tipo do chocolate: ao leite, mais doce e os com maior teor de cacau, mais amargos e escuros, bastante apreciados na linha artesanal mais sofisticada.
Se for para o mais doce, a escolha recai sobre o Porto Tawny e o Madeira Malmsey, e se for para os mais escuros, a opção deve ser pelo Porto Ruby ou Porto LBV.

Boa Páscoa a todos.

Arthur Piccolomini de Azevedo é Vice-Presidente da Associação Brasileira de Sommeliers-SP, editor do site da Artwine (artwine.com.br) e consultor da Artwine.

Comentários

Powered by Facebook Comments