arquitetura e construção

Projeto The Mirage traz ousadia mimetizada

Publicado em: 14/03/2018

Premiado projeto residencial preserva a intocada paisagem da ilha grega Tinos, um oasis invisível e ecossustentável 

PORTAL

Localizada acima de Cíclades (grupo de ilhas ao norte do mar Egeu), na Grécia, Tinos é a terceira maior ilha de toda a região e o maior centro de peregrinação de toda a Grécia. Em meio à paisagem de colinas rochosas, existe mais de 40 aldeias, mas a fama do local é, principalmente, por sua arquitetura completamente intocável.
O cenário é revestido por centenas de quilômetros de paredes de pedra secas, que tornam a paisagem única. O premiado projeto The Mirage, do grupo grego Kois Associated Architects, situa-se em um terreno inclinado, com vista para o Mar Egeu.
O local oferece proteção contra os ventos predominantes e um platô natural que, desde o início, foi identificado como a localização ideal para a residência, pois minimizaria o impacto na paisagem devido à escavação. É uma estrutura térrea com uma superfície de 198m2. A localização permite que se beneficie de vistas maravilhosas e panorâmicas da ilha de Tinos.

MIMETIZADA PAISAGEM
Na abordagem dos arquitetos, somente os recursos essenciais e elementos programáticos para sustentar uma estadia confortável foram incorporados. O objetivo era integrar a construção à paisagem, para alcançar um efeito que fizesse parecer com que a casa fosse parte integrante do lugar.
Toda a residência é coberta por uma piscina com borda infinita, que produz o efeito visual da água que se estende ao horizonte, desaparecendo e se fundindo com a paisagem marinha da ilha grega. Quem olha o local de uma certa distância – especialmente se visto a partir da aproximação, de um ponto de vista mais alto – a única característica visível da casa é o belíssimo “mar” que compõe a superfície da piscina. O objetivo é justamente que a piscina evoque a sensação do fenômeno ótico de uma miragem (motivo pelo qual o projeto foi batizado).

MATERIAIS EXTRAÍDOS DA ILHA
A maioria dos materiais de construção foram extraídos da própria ilha de Tinos, usados de modo a fazer com que casa “desaparecesse” no cenário. Por isso, esses materiais têm baixo impacto nocivo ao meio ambiente e são muito eficientes como materiais isolantes. As paredes traseiras da casa são feitas de terra retida e possuem camadas de vegetação, que regula a temperatura e arrefece o ambiente através da evaporação.

PISCINA E TELHADO SE INTEGRAM AO MAR
A piscina, que acaba atuando também como telhado, fornece isolamento térmico e proteção contra radiação solar e transmissão de calor. O objetivo dos arquitetos era fazer uma casa fundida com os arredores: um oásis invisível, escondido aos olhos insuspeitos. A casa, de longe, se parece quase com um simples ponto de obseravação do horizonte. Quando se vê as rochas, se imagina a paisagem de uma dramática cascata, e não uma casa. A visão da ilha de Tinos fica, portanto, quase intacta devido à estratégia de projeto e à seleção cuidadosa dos materiais.

Comentários

Powered by Facebook Comments