condomínios

O excesso de velocidade: mitos e verdades dentro dos condomínios

Publicado em: 9/10/2017

radar

OBRIGATÓRIO 30 KM/H NA MAIORIA DAS VIAS

O excesso de velocidade no trânsito resulta em acidentes graves tanto em vias públicas quanto nas particulares. Nos “Condomínios Fechados” não é diferente. Apesar do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelecer velocidade máxima de 30 km/h nas vias locais, maioria das ruas dos residenciais, dificilmente encontraremos moradores seguindo a risca esta exigência.

CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO VALE DENTRO DO CONDOMÍNIO

Nos Loteamentos Fechados ou Condomínios, ao contrário do que muita gente acredita, as normas de trânsito também devem seguir rigorosamente o Código de Trânsito Brasileiro. Em muitos casos, a falta de informação sobre as regras por parte dos moradores gera uma falsa sensação de território autônomo culminando em grandes níveis de infrações, principalmente de velocidade.

CONDOMÍNIOS = DESATENÇÃO E IMPUNIDADE

Segundo a psicóloga e especialista de trânsito, Salete Romero, o acidente de trânsito é a principal causa de morte acidental de crianças e adolescentes de um a 14 anos de idade no Brasil. Nos “Condomínios Fechados” a quantidade de crianças desatentas, o desrespeito às regras de trânsito e a sensação de ausência de leis podem ser o combo perfeito para acidentes graves.

MAIS MENORES DIRIGINDO

É comum ouvir alguns pais dizendo aos seus filhos “tudo bem se for só no condomínio”. Esse pensamento gera, na maioria dos casos, o sentimento de liberdade total e de ausência de leis. Desse modo, é comum existir menores dirigindo, motociclistas sem capacete, excesso de velocidade, estacionamento irregular, entre outros.

AUTORIDADES DE TRÂNSITO PODEM AUTUAR

Apesar dos condomínios possuírem as suas próprias normas e regras, o síndico, administrador e funcionários não podem aplicar as punições previstas pela CTB. Porém, eles podem aplicar as sanções referentes às normas e regras do condomínio e, em seguida, comunicar os agentes de trânsito. Os moradores também possuem o direito de chamar esses agentes para aplicar as medidas punitivas necessárias nas vias particulares. Porém, é importante saber que as instituições públicas podem resistir as chamadas dentro de condomínios.

SINALIZAÇÃO: RESPONSABILIDADE DO CONDOMÍNIO

É importante que exista medidas punitivas para os infratores de trânsito. Nos “Condomínios Fechados”, por exemplo, é necessário que se cumpra a velocidade máxima de 20km/h nos trechos com lombadas. Segundo o professor de Engenharia Civil com ênfase em Infraestrutura de Transportes, Creso Peixoto, é necessário o condomínio efetuar um projeto para colocar sinalização horizontal, como pintura de faixas seccionada e contínuas amarelas, e sinalização vertical, como velocidade máxima de 30km/h e sinalização de parada de locais proibidos, tanto nos Condomínios quanto nos Loteamentos Fechados.

SENSIBILIZAÇÃO: MAIS EFICAZ QUE A PUNIÇÃO

Apesar destas medidas punitivas existirem e serem importantes no trânsito, elas não são as mais eficazes. Os radares, por exemplo, utilizados para penalizar e gerar um sentimento de “controle” no trânsito não são o melhor método. Creso Peixoto explica que eles não possuem o efeito esperado, já que os motoristas diminuem ao saber sobre a sinalização e depois voltam a acelerar. Segundo a psicóloga e especialista de trânsito, Salete Romero, é importante que exista a conscientização por parte dos motoristas para os riscos decorrentes das infrações de trânsito. ‘‘Não foi dito ou explicado que a ‘multa’ é o menor dos problemas frente ao risco que assumem quando atingem velocidades que podem comprometer a sua vida e a de terceiros’’, explica Salete.

SOLUÇÃO: CAMPANHAS INTERAGINDO COM TODOS

Os Condomínios e Loteamentos Fechados devem prezar pela boa condução de seus veículos. Desse modo, é importante que exista programas efetivos de educação no trânsito. A psicóloga, Letícia Rosa, explica o quão importante as repressões sociais e a erradicação da cultura das pequenas infrações são para diminuir os acidentes decorrente de imprudências. ‘‘Acredito que o que pode melhorar, e não seria mudar, o comportamento do motorista transgressor é a apreensão de sua CNH, o que já acontece. Mudar a cultura contra tais atos ilegais também conta. É necessário que o pensamento sobre as ‘pequenas infrações’ seja erradicado da cultura no trânsito’’, explica Letícia. Desse modo, é importante que exista palestras interativas no próprio condomínio sobre Segurança no Trânsito. É possível realizar atividade lúdica e divertida para as crianças, atividade interativa para os jovens como também um trabalho mais efetivo para os condutores mais experientes e que também cometem infrações por excesso de confiança, gerando acidentes totalmente evitáveis. Assim, será possível fazer com que os moradores entendam os riscos e mudem a forma de se portar.

Comentários

Powered by Facebook Comments