viagem

Peru: além de Machu Picchu

Publicado em: 14/08/2017

A magia de civilizações, a pureza das aldeias e a riqueza de sabores

 

Peru, floating Uros islands on the Titicaca lake

 

 

Vanessa Cardarelli

Enquanto subíamos a longa escada milenar em zig zag, nossos guias espirituais nos envolviam explicando a filosofia e a sabedoria Andina. Nosso destino era chegar ao melhor ângulo da visão da cidade mágica. 

No momento certo, ele pediu que continuássemos caminhando com os olhos fechados. Começamos a ouvir o cântico suave mas marcante dos xamãs ao som dos chocalho e tambores que nos arrepiava e nos trazia uma paz amorosa. Era uma oração em formato de música que agradecia a Mãe Terra e pedia bênçãos para todo o grupo, em Qechua, sua língua nativa. Quando perceberam que todo o grupo estava imerso e em paz pediram que abríssemos os olhos. Nesse momento descortinou-se a nossa frente a esplendorosa “Machu Picchu”. Não houve palavras, apenas interjeições e lágrimas. Nos abraçamos como irmãos agradecendo aquele momento com o coração em êxtase. 

A nossa frente era uma visão panorâmica, com um conjunto de montanhas magníficas, altíssimas, um céu azul e raios dourados iluminando todo o cenário da cidade dos deuses, com seus templos, casas, pedras, vegetação e seus terraços em degraus. Pequenos pássaros coloridos voavam como que nos viessem dar boas vindas. Era a 11 a vez que visitava a cidade sagrada, mas cada visita sempre era diferente e sempre me dizia algo importante.

Desembarcar no Peru não é apenas conhecer um país vizinho, mas é ter a oportunidade de explorar uma nação fascinante, repleta de histórias de civilizações misteriosas. Como a descoberta recente da cidade sagrada de Caral, de mais de 5000 anos civilização avançada Pré-Inca. É também berço da agricultura mundial onde surgiu o milho, o tomate, a batata, o abacate e muitos dos nossos principais alimentos. Hoje grande celeiro de alimentos orgânicos. Sem contar a imensa variedade de carnes, peixes e frutos do mar. Por isso, sua culinária está cada vez mais desenvolvida com uma alta culinária singular.

Mas ainda tem muito mais: um magnífico artesanato, joias de prata, lãs de alpacas, vicunhas, o melhor algodão do mundo e os deslumbrantes Andes ao lado de florestas. Mas um diferencial cada vez mais procurado por turistas é a essência pura dos seus nativos. Há vilas protegidas pela Cordilheira a mais de 4.000 metros de altura, com pouco contato com a civilização. Há lugares pouco tocados pelo homem moderno, onde se sente a pureza de alma junto a uma natureza majestosa. Um país que encanta!

LIMA

A população de nove milhões de habitantes constitui a capital do país fantástico. Lima, está à beira do Pacífico. Em outra edição abordamos a esta bela cidade com seus cassinos, museus, bairros boêmios, parques e bairros elegantes, como San Isidro e Miraflores. Visitas obrigatórias continuam sendo o Mercado Indio, centro do famoso artesanato peruano, o Circuito Mágico das Águas com as incontáveis fontes e jogos de luzes, o Museu Antropológico com belíssimas coleções das civilizações milenares do Peru e a portentosa Plaza Mayor no centro da cidade. Não podemos deixar de reiterar que a culinária de Lima é um dos pontos altos do seu turismo. Astrid y Gaston é o melhor restaurante gourmet do chef Gaston, reconhecido internacionalmente.

CIDADE DE CUSCO: CAPITAL INCA 

A capital do Império Inca foi tombada pela UNESCO. Conhecida como a ponte entre o presente e o passado de uma cultura exuberante. Visitar Cusco é como viajar pelo tempo. As estruturas Incas como também as igrejas, as ruas e calçadas de pedras são um encanto para os olhos do turista.

As lojas finas ficam sob os arcos que rodeiam toda a Praça das Armas. Você encontrará desde restaurantes populares, até os mais famosos, assim como vegetarianos, veganos, e várias pizzarias. Além disso, há o Centro da arte cusquenha (época Barroca), onde você encontrará quadros  religiosos com pó de ouro ou de bronze, como os do Arcanjo Miguel, Rafael e Maria. A hora mais linda de passear na Plaza de Armas é pela noite, sua iluminação dourada, deixa uma recordação inesquecível.

É melhor ficar em Cusco mais de três dias. A cidade pitoresca está a 3.450 metros e, por isso, possui um ritmo de atividades mais lenta. Além do mais, ela pode ser o caminho para outros lugares como o Lago de Titicaca com alturas superiores. A ordem é uma estadia de mais dias para se aclimatar, comer pouco e leve, estar sempre agasalhado evitando assim o “mal de altura” ou Soroche.

OS MELHORES LUGARES 

Museu Coricancha: uma obra da arquitetura Inca e um dos mais importantes complexos arqueológicos sagrados. Sacksayhuaman: sítio arqueológico onde acontece a festa do Sol em todo 24 de Junho. Museu do Inca: reúne uma vasta coleção de vasos cerimoniais, têxteis, múmias e ídolos de ouro e prata maciça, bem como armas, ferramentas e cerâmicas Inca. Plaza de Armas: praça principal do centro de Cusco, palco das principais atividades. Bairro San Blas: bairro artístico de Cusco. Mercado San Pedro: Mercado de especiarias com preços acessíveis.

MACHU PICCHU 

Para chegar à Machu Picchu somente a pé ou pela ferrovia. Há vários horários de trem que saem de Cusco com parada em Águas Calientes, numa viagem bem pitoresca a 30 km por hora, com duração de quatro horas. Para quem estiver apto a caminhadas pesadas, poderá fazer o “Caminho Inca” a 4.000 metros de altitude (reservas com cinco meses de antecedência) ou a trilha de Salkantay. Os preços variam de acordo com o apoio, como: caminhos, comidas, carregadores, cabanas e pousadas. Porém, todas elas traçam o caminho à Machu Picchu, da mesma forma que os Incas caminhavam antigamente. Uma experiência única!

POVOADO ÁGUAS CALIENTES: PORTA DE MACHU PICCHU

Águas Calientes é o povoado ao lado de Machu Picchu. Não há carros e todos caminham pela vila a pé em ruelas estreitas, cheias de restaurantes, nativos oferecendo cardápios e lugares para comer. Enquanto se caminha ao fundo se houve o barulho da cachoeira e do rio que desce até o rio Urubamba, que corta toda a vila. Àguas Calientes merece uma per noite, para poder desfrutar de toda sua hospitalidade, compras e dos banhos termais.

Artesa tecendo vestimentas, em Arequipa, no Peru

 

OS ENCANTOS DE MACHU PICCHU 

Eles podem ser desvendados depois de enfrentar uma estradinha zig zag. A beleza das montanhas e a magia do lugar histórico podem ser contados, mas jamais transmitidos em toda a sua complexidade para aquele que ouve.

Uma dica para aqueles que querem entender a mágia e o misticismo do lugar é se aquietar em lugar tranquilo e entrar em sintonia com a natureza e toda a história envolvida ali. Machu Picchu é chamada de cidade de cristal, pois seu subsolo está repleto desta pedra.

Para conhecer toda Machu Picchu, você precisará andar bastante. Desse modo, será possível conhecer os templos, as casas dos Incas, os terraços de micro climas para plantações e o sistema de abastecimento de águas. É fascinante estudar antes para entender in loco como essa civilização estava muito à frente de seu tempo.

VALE DO COLCA: O INCRÍVEL CANYON 

O cânion mais profundo do mundo, maior que o Grand Canyon, chega a 4.160 metros de profundidade. Para chegar até lá, deve-se viajar até a cidade de Arequipa (cidade Branca) e pegar uma condução até Chivay. A visita é por uma estrada à beira do Cânion. Diversos vilarejos de agricultores e pastores são deixados para trás, até chegar na Cruz del Condor. Um mirante com uma extraordinária vista para os ninhos de condores.

Nesta região, se encontram de pousadas até spas 5 estrelas. Banhos termais e plantações de quinoas são apreciados por turistas. O povo anda vestido com seus trajes típicos, que são coletes, saias e chapéus, todinhos bordados à mão. E toda a manhã a escola ensaia suas danças típicas na praça, enfrente a igreja de arquitetura colonial, bem rústica, com seus jovens alunos em trajes típicos e coloridos.

CIDADE AREQUIPA: O OÁSIS DOS ANDES 

A cidade mais rica do Peru possui casas e igrejas feitas de pedras vulcânicas. Tombada pela UNESCO, é a capital do doce de leite e do chocolate. Além disso, possui um povo muito hospitaleiro e é conhecida como um Oásis em meio às montanhas desérticas da Cordilheira dos Andes.

LUGARES

Plaza de Armas: Mosteiro de Santa Catalina (Uma pequena vila onde moravam as freiras, com mais de 90 casinhas e uma organização Vale do Colca, o cânion mais profundo do mundo). Mirante. Catedral de Arequipa. Museu dos Santuários Andinos (onde se encontra a múmia da menina Juanita e Sarita). Museu Arqueológico da Universidade San Agustín.

LAGO TITICACA: ILHAS FLUTUANTES 

Conhecido no mundo todo como o lago mais alto do mundo, mais de 3.800 metros acima do nível do mar, com 190 km de comprimento e mais de 8.300 km2  é um dos principais cartões postais do Peru. Segundo a lenda andina, foi nas águas do Titicaca que nasceu a civilização Inca, onde surgiu os filhos do rei MU com o destino de fundar uma civilização e trazer conhecimentos de agricultura, cultura, arte, para o povo desse país.

Puno, a 4.000 de altitude é a cidade principal da região do lago, se acessa a partir de Cusco por ônibos turístico, em 6 horas de viagem, ela possui um bom comércio, com bancos, restaurantes e hotéis. De lá podem ser feitas visitas a ilhas de Uros e Taquile ou ainda a Amantani, onde se pode dormir em casas dos nativos com direito a reuniões festivas com danças e comidas típicas. O costume das ilhas é bem diferente em relação à cidade. Todos se trajam com roupas típicas com bordados diferentes, que representam sua família.

Uros é uma ilha bem diferente, feita de palha de totora flutuantes. Seus habitantes descendem dos antigos Uros, uma das civilizações mais antigas da região. Sem dúvida estas singulares ilhas tornaram-se emblemas do Peru.

O turismo vivencial também é um dos marcos nessas ilhas. De Puno até Sillustani, você poderá conhecer uma casa típica com seus moradores e seu cotidiano, e entender como comem, vestem, trabalham e cuidam de seus animais. Almoço numa casa de nativos, tanto em Taquile ou Amantani, com vista para o maravilhoso lago é imperdível.

Converse com quem fez essa matéria, redacao@residenciais.org

 

Comentários

Powered by Facebook Comments