malas prontas

Arquipélago de Açores, O Ícone Europeu do Turismo Sustentável

Publicado em: 24/07/2017

Terras agrestes nos confins do oceano, passagem dos maiores animais marinhos, banhos sulfurosos, culinária e vinhos únicos com arquitetura histórica

 

 

86486128.jpg lagoa foto tratada

Felipe Carda

Subindo a serra num formidável e grande quadriciclo cabinado 4×4, eu tentava acompanhando os outros dois em comboio a minha frente, mas uma forte neblina dificultava essa tarefa e impedia completamente de se enxergar qualquer paisagem. E para sepultar qualquer discussão sobre o clima, um céu cinza chumbo nos encobria. O desânimo era geral, afinal estávamos a caminho de um dos sightseeing mais bonitos da principal Ilha do Arquipélago dos Açores, o famoso Lago do Fogo.

De supetão, o guia deu sinal que tínhamos chegado e disse calmamente que era hora de tomar um vinho. Parecia que era a única atividade prazerosa que teríamos naquele passeio frustrado. Ocupamos uma bela mesa de picnic à beira da estrada e começamos a degustar um variado e delicioso cardápio de embutidos e pães daquela culinária regional portuguesa, regado a seus vinhos harmonizados. Clima perfeito para a integração do grupo de turistas e a contaminação geral do sorriso. Esquecemos da hora, até que o guia nos cutucou e perguntou “Vocês vieram aqui para comer ou para ver a vista?” Olhamos pasmos ao redor, o céu estava azul, o ar limpo, com visibilidade de quilômetros explodindo à nossa vista, o estupendo Lago do Fogo, recortado por escarpas verdes e ao fundo, um infinito e roxeado mar. Centenas de aves migratórias coloridas, como assessórios de decoração, cantavam e davam movimento àquela pintura. Começava a entender que estava nos confins de um oceano, com um clima instável, numa terra agreste, quase um Jurassic Park, mas que tinha muita coisa saborosa e linda.

BIOSFERA VULCÂNICA DA UNESCO 

Por muitos anos, o Arquipélago Português de Açores foi considerado o fim do planeta, limite ao qual os navios não podiam atravessar. Solitário, formado por nove ilhas, localizado no meio do Atlântico Norte, entre Nova York e Lisboa, na junção das maiores placas tectônicas da Terra, é o resultado de erupções vulcânicas que ainda mantém vulcões levemente ativos. Essas condições entalharam montanhas gigantes submersas, escarpas, cavernas, lindos lagos rodeados por florestas de louro e cedro e muitas pastagens verdes. O clima subtropical atinge no verão temperaturas agradáveis e suas águas tornam-se levemente aquecidas pela corrente do Golfo.

A Unesco designou quatro das ilhas (Graciosa, Flores, Corvo e as Fajãs de São Jorge) como reservas da biosfera. O arquipélago também contém 13 sítios Ramsar (zonas úmidas importantes) e mais de 30 praias da Bandeira Azul. Apenas 5% da área do arquipélago é construída, todo o resto é agrícola ou parque. Não é de admirar que, em 2016, os Açores tenham sido nomeados como o principal destino do mundo para o turismo sustentável pela Quality Coast, um programa de certificação apoiado pela Comissão Europeia. Na verdade, é o único lugar no mundo a receber um prêmio Platinum, o mais alto reconhecimento da organização. O segredo desse lugar encantador é a combinação de um legado natural extraordinário, com traços únicos de suas paisagens, tradições, culinária e arquitetura em uma vasta área de mais de 800 km de comprimento (da ponta sudeste da ilha de Santa Maria até a extremidade noroeste do Corvo). O destino também é pouco frequentado pelos turistas, o que o torna uma ótima opção para quem está cansado de lugares superlotados.

 

acores_055430ab8f.JPG mergulho

 

SANTUÁRIO DE AVES E GRANDES ANIMAIS MARINHOS 

O ecossistema único das ilhas de Açores proporciona a existência de um dos maiores santuários de baleias do mundo. Entre espécies residentes e migratórias, comuns ou raras, avistam-se mais de 20 tipos diferentes de mamíferos marinhos. Os simpáticos golfinhos e baleias podem ser observados em vários pontos de partidas de barcos, que estão espalhados pelas praias. Além da vida marinha, as ilhas compreendem dezoito reservas naturais com diferentes tipos de fauna e flora. Os Açores são conhecidos internacionalmente como destino para a observação de determinados grupos de espécies de aves. Diversas espécies migratórias passam por lá devido a sua localização, e até hoje foram registradas 400 espécies observadas no arquipélago.

ILHAS DOS ESPORTES RADICAIS E BANHOS TERMAIS 

Além da exuberante paisagem, o lugar oferece diversas atividades para quem procura aproveitar ao máximo o destino. Os mais radicais podem optar por mergulhos imperdíveis, principalmente na Ilha de Picos, onde existem as cobiçadas jamantas (arraias gigantes), peixes pelágicos e grandes cardumes, sem contar passeios de bicicletas nas montanhas, canionismo, surf, iatismo, canoagem e parapente. Os mais tranquilos podem optar por: passeios a cavalo, quadriciclos off road, pesca recreativa, golfe, visitas aos vulcões, banhos hidrotermais e observação de cetáceos.

Os Açores são conhecidos por suas atividades esportivas aquáticas excepcionais. As condições geográficas e climáticas favorecem condições favoráveis para boas ondas, ou seja, é um destino maravilhoso para quem curte surfar. Também há a possibilidade de se aventurar além do litoral para as águas remotas do meio do Atlântico, o Iate Cruiser opera fora dos portos de Horta (Faial) e Ponta Delgada (São Miguel). Claro que estas atividades aquáticas serão mais adequadas no alto verão com sol mais forte e águas mais quentes.

 

Açores

 

ARQUITETURA HISTÓRICA 

Os amantes da história e da arquitetura irão apreciar a beleza e o design das antigas cidades e aldeias de Açores. As igrejas que remontam ao século XVI dominam a paisagem arquitetônica em cada uma das ilhas. Os palácios e fortalezas na cidade de Angra do Heroísmo (Terceira) fizeram com que a cidade fosse classificada como patrimônio mundial pela UNESCO.

São Miguel é a maior ilha dos Açores e é famosa por seus impressionantes lagos gêmeos (um azul e um verde), praias, grutas, impressionantes penhascos fortalezas, e os famosos banhos termais sulfurosos. Como a maioria dos voos chegam em Ponta Delgada, sua principal cidade, muitos visitantes ficam por ali. Embora você esteja pagando em Euro, não pense que os preços serão altos, pois a acomodação e alimentação nos Açores é muito acessível.

GASTRONOMIA ÚNICA E ACESSÍVEL 

As características únicas do arquipélago também são refletidas na culinária local. Cada ilha possui uma especialidade gastronômica particular, uma forma de proporcionar o melhor de cada especiaria para quem as visitam. Os pratos consistem em peixes, mariscos e carnes, sempre servidos frescos. Os queijos de São Jorge são servidos com pimenta da terra, e em sobremesas, com banana ou doce de capucho, uma espécie de tomate de sabor exótico e perfumado.

Os vinhos possuem destaque na gastronomia local. Os licorosos, brancos, tintos e rosés são bastante apreciados por lá. Outra bebida também importante da cultura açoriana, são as aguardentes de canela, nêspera e figo, que são produzidas na própria ilha. Além disso, o aroma majestoso do café toma conta do lugar.

A gastronomia de Açores é marcada pela utilização de fornos em buracos na terra, onde carnes e vegetais são enterrados e cozidos no solo geotérmico, durante cinco horas. Existe também o famoso chá de Açores, o qual é produzido nas plantações da Gorreana e de Porto Formoso, único no contexto europeu.

Em restaurantes, bares e cafés, os preços são mais baixos do que em outros destinos na  Europa, e até mesmo no Brasil. O serviço é frequentemente lento, e sem grande sofisticação, mas primam pela qualidade e frescor dos ingredientes.

FESTAS CLIMÁTICAS 

Todo o cotidiano das ilhas está ligado às condições climáticas de Açores. Ao todo são cinco festas principais que são embaladas ao ritmo da natureza.  A Semana do Mar, em Faial, por exemplo, é uma série de eventos culturais e religiosos destinados ao mar. Todos os anos, no mês de agosto, a ilha recebe música ao vivo, performances folclóricas, artesanato, eventos religiosos e culturais, incluindo exposições e desfiles. Vários esportes e competição relacionados com o mar, como: regatas a vela, caiaque e remo de canoagem, natação, jet ski, water-polo, windsurf e pesca.

A religião também está atrelada ao clima da região, resultado de terremotos e erupções vulcânicas que assolaram as ilhas açorianas ao longo de séculos. Os romeiros de São Miguel, por exemplo, solicitavam auxilio divino para controlar a natureza. Arraiais, marchas, concertos de música, provas desportivas náuticas, eventos culturais, feiras de gastronomia, mostras de artesanato e até touradas, ocorrem entre maio a setembro. O motivo? Culto aos santos. Celebrações ao Divino Espirito Santo e Senhor Santo Cristo dos Milagres ocorrem todos os anos. Tudo nessas ilhas é motivo de festa!

Os Açores também são um destino para aqueles que gostam de cair na dança. As ilhas também possuem uma versão do carnaval, com danças, bailinhos e corsos carnavalescos, os locais e turistas apostam em modinhas populares e bailes folclóricos.

PRINCIPAIS FESTAS

SEMANA CULTURAL DAS VELAS

Quando: 6 a 9 de julho

SEMANA DO MAR

Quando: 6 a 13 de agosto

MARÉ DE AGOSTO

Quando: 18 a 21 de agosto

FESTA DOS BALEEIROS

Quando: 21 a 27 de agosto

Comentários

Powered by Facebook Comments