entrevista

ENTREVISTA:ISABELLE DRUMMOND

Publicado em: 13/07/2016

 

A protagonista de mais duas novelas globais fala sobre sua carreira, vida pessoal e projetos futuros

 

DIVA

Por Ana Laura No

Isabelle Drummond, hoje com 22 anos, já é dona de uma grande carreira. Ela se mostra apaixonada pela profissão e pelos personagens que já interpretou. Todos marcantes e inspiradores, que ficaram não só na memória da atriz, mas de muitas crianças e adultos que acompanham seu trabalho. Isabelle tem muitos projetos pela frente, ela estará na próxima novela das nove da Rede Globo “A lei do Amor” e ainda ano que vem fará parte do elenco da nova novela das seis “Novo Mundo”.

A atriz começou em 2001 como Rosiscler, na minissérie “Os Maias”, porém estourou mesmo no mesmo ano, em que passou a alegrar as manhãs dos espectadores como a icônica boneca Emília no “Sítio do Picapau Amarelo”.

Um tempo depois, em 2007, foi Gina na novela “Eterna Magia” e no ano seguinte ainda fez uma participação especial em “A Favorita”.

As travessuras e o bom humor da boneca Emília pode-se dizer que voltaram em 2009, quando Isabelle interpretou Bianca em “Caras e Bocas”. Seus bordões caíram na boca do público, um deles: “É a Treva”, com certeza passou a fazer parte do cotidiano de muitos espectadores. Além disso, no mesmo ano, participou do filme “Se Eu Fosse Você 2” ao lado do ator Tony Ramos e a atriz Gloria Pires.

Em 2011, encarou a novela de época das seis, “Cordel Encantado”, em que foi Rosa. A surpresa veio mesmo em 2012, com a sua segunda protagonista, a encantadora e guerreira Maria Aparecida, a eterna Cida, em “Cheias de Charme”. A atriz surpreendeu a todos cantando e lançando hits (como a música: Vida de Empreguete) que foram um verdadeiro sucesso. Atualmente, a Globo irá transmitir o reprise da novela no “Vale a Pena Ver de Novo”.

Outro desafio para atriz foi viver Giane em 2013, na novela “Sangue Bom”. Diferente das personagens anteriores, esta era uma corinthiana que adorava se meter em uma briga, porém tinha um coração gigante.

No ano de 2014, nos inspiramos no estilo da It Girl Megan, em “Geração Brasil”. Por fim, em 2015, nos encantamos e torcemos por Julia em “Sete Vidas”.

Sem dúvidas, foram grandes personagens, cada um deles carregando a essência, dedicação e a paixão de Isabelle, sem nunca perder o que ela sempre preserva: a magia.

Captura222

 

[RESIDENCIAIS] Desde muito cedo você está inserida no mundo da dramaturgia. No cinema você estreou em “Xuxa Popstar” e em 2009, em “Se Eu Fosse Você 2”. Você tem vontade de realizar mais filmes? Tem algum projeto especial no futuro para o cinema?

[ISABELLE DRUMMOND] Gosto muito de cinema. Do formato e de todo o encanto que envolve. Nesse momento estou focada na TV, que sempre foi minha paixão e tenho trabalhos já programados, mas quero no futuro, buscar projetos bacanas de cinema. Esse ano estreia um longa que fiz. Se chama Minha Família, da Fox.

[RESIDENCIAIS] No ano de 2012, você interpretou a Cida em “Cheias de Charme”. Como foi a experiência?

[ISABELLE DRUMMOND] Foi lindo demais. Não esperava porque eu era tão nova e a novela era um desafio. Foi muito importante para mim a confiança da Globo e um aprendizado do início ao fim.

[RESIDENCIAIS] Em “Cheias de Charme” você ainda teve que cantar. Foi a primeira vez que você fez um projeto em que teve que gravar músicas e soltar a voz? Como foi a experiência?

[ISABELLE DRUMMOND] Fiz alguns especiais da Globo que cantava, mas nada tão grande. Esse era mais sério e importante na composição da personagem. Tivemos que enfrentar o palco e ainda viver histórias diferentes.

[RESIDENCIAIS] Por começar a atuar muito nova, você já tem uma grande carreira, apesar de ter apenas 22 anos. Como surgiu a vontade de atuar? Você sempre quis trabalhar com isso?

[ISABELLE DRUMMOND] Eu era pequena e apaixonada por televisão. Amava novelas e achava que eu podia viver as histórias. Principalmente as dos adultos. (risos). Gostava de comerciais também. Tudo começou na brincadeira em casa e por muitos anos trabalhando mesmo. Foi assim: um jogo de imaginação. Tento preservar isso hoje também: a magia. 

[RESIDENCIAIS] Você tem vontade de exercer outra profissão?

[ISABELLE DRUMMOND] Tenho tantas vontades (risos). Hoje mesmo, disse para minha irmã que poderia ser juíza, porém estou estudando psicanálise. Bom, acho que quero atuar mesmo. Onde posso viver de tudo um pouco. Talvez escrever e dirigir um dia.

[RESIDENCIAIS] Você ficou seis anos protagonizando a boneca Emília no “Sítio do Picapau Amarelo”. Por serem muitos anos e uma personagem icônica, o que mais marcou a sua vida nessa fase?

[ISABELLE DRUMMOND] Talvez a relação com as crianças. Sempre gostei de crianças e a Emília era muito importante para elas.  Até as muitas mais novas do que eu era. Eu gostava muito de receber esse carinho. E ainda recebo.

[RESIDENCIAIS] Sua última novela foi “Sete Vidas” no ano passado, em que fez Julia. Depois de tantas novelas, qual personagem mais gostou de interpretar?

[ISABELLE DRUMMOND] Isso não existe muito… Todas ficam em mim, mas “Sete Vidas” foi muito importante. Uma fase mais calma. Texto e direção incríveis e a personagem me ensinou muito, éramos uma família feliz.  

[RESIDENCIAIS] Seu próximo projeto irá ser na próxima novela das nove da Rede Globo: “A lei do Amor”, em que viverá Heloísa na primeira fase. Teria como você contar um pouco da sua personagem e de como está sendo interpretá-la?

[ISABELLE DRUMMOND] Está sendo tão incrível. Essa personagem me tocou muito. Às vezes fico até envolvida demais. Ela é forte, verdadeira, pura mesmo, mas não ingênua. Ela é honesta, tem uma carga dramática grande pela vida que vive. Ela é uma heroína como poucas. Estamos fazendo um trabalho quase artesanal.

[RESIDENCIAIS] Nesta novela você atua pela primeira vez com o ator Chay Suede. Como está sendo a experiência de atuar com ele?

[ISABELLE DRUMMOND] Está ótima. Nos tornamos amigos em pouco tempo. A história dos personagens é linda.

[RESIDENCIAIS] Além desta novela, você também fará parte do elenco da nova novela das seis da Rede Globo “Novo Mundo”, que estreia ano que vem. Você poderia contar um pouco sobre a sua personagem? As gravações já começaram? 

[ISABELLE DRUMMOND] Ainda é cedo, mas posso dizer que me apaixonei pelo texto assim que recebi. É uma história linda, inteligente. Deu até vontade de estar nela de verdade.

[RESIDENCIAIS] No seu tempo livre fora das câmeras. O que você costuma fazer?

[ISABELLE DRUMMOND] Gosto de ler, pintar, cozinhar, estudar, assistir séries, mas amo mesmo viajar. Nem que seja para perto e de carro com os amigos. Adoro conhecer coisas novas e aprender.

[RESIDENCIAIS] Você começou a trabalhar intensamente ainda quando criança. Sua infância e adolescência foram diferentes de jovens comuns. Conte um pouco de como isso influenciou a sua vida.

[ISABELLE DRUMMOND] Graças aos meus pais tive uma infância normal no tempo livre, completamente longe dos holofotes. Minha família sempre foi discreta e com os pés no chão. Perdia algumas festinhas com amigos, mas adorava o trabalho que para mim ainda não tinha tanto peso. Sempre tive paz num set de gravação, principalmente quando dava o “ação”, aí me sentia livre pra imaginar, sentir, voar. E hoje continua sendo assim.

Comentários

Powered by Facebook Comments