viagem

Visitar Veneza: o melhor é ficar em Pádua e Treviso

Publicado em: 11/08/2015

A apenas meia hora da “crowded” Veneza, estas cidades são mais confortáveis, autênticas, lindas e relaxantes.

 

 

 

Por Marc Szeligowski

 

Todos sabem que Veneza é imperdível em se tratando dos belos centros italianos, mas não sabem como evitar os lados ruins da cidade, como o custo elevado da boa alimentação e hospedagem, o comum vento frio e o esgotante confronto diário com o mar de turistas e lojinhas. Para muitos, tudo isso pode fazer do tempo em Veneza bastante desgastante.

A Revista Residenciais conheceu alternativas para visitar Veneza evitando a maior parte destes dissabores e ainda descobrir mais um lugar incrível. A dica é hospedar-se em uma das duas belíssimas cidades próximas: a exuberante Pádua ou a aconchegante Treviso, ambas a apenas meia hora de trem de Veneza. Cada uma atenderá gostos diferentes, mas ambas têm hotéis que saem muito mais em conta, belos centros históricos, ótima gastronomia, lindos arredores, muita atividade cultural e o melhor: ao invés do mar de turistas afoitos e massificados souvenirs, um bom local para interagir com italianos e fazer compras.

A ideia é ficar somente uma noite num bom hotel em Veneza para imergir-se na cidade, e os outros dias retornar para passar o dia de forma programada, conforme a temperatura, volume de turistas (tendo em vista que em fins-de-semana o número aumenta ainda mais) e a agenda de eventos locais. Fora isto, o ideal é curtir estas lindas alternativas, Pádua ou Treviso, que têm muito a oferecer culturalmente e ainda são ótimas para relaxar.

Padova street

Pádua, uma vigorosa cidade localizada na parte central da província de Vêneto, conta com muitas pequenas ruas estreitas de paralelepípedos e bairros atemporais que cercam o “Palácio Bo” – casa da prestigiada universidade da cidade – e é um dos principais centros culturais do norte da Itália. A universidade, que a torna o coração acadêmico da República de Veneza, foi fundada em 1222 – a segunda mais antiga do país – e atraiu importantíssimos ícones culturais como Dante, Petrarch Galileu Galilei – que foi professor lá – fazendo com que a cidade ganhasse o apelido de “La Dotta”, que significa “Os Doutos”. É uma das mais importantes cidades medievais e renascentistas da Itália, e apesar de ser bastante antiga é dinâmica e vital, uma cidade cosmopolita com vastos monumentos históricos e muitos lugares interessantes, como as Colinas Euganei, oásis naturais, castelos, e vilas. A Basílica di Sant’Antonio da cidade, que teve inicio em torno de 1238, atrai multidões de peregrinos, especialmente no dia da festa típica anual, em 13 de Junho. Três grandes artistas – Giotto, Donatello e Mantegna deixaram obras significativas em Pádua, sendo a Capela Scrovegni de Giotto uma das principais, por ser uma das mais conhecidas de toda a Itália e meticulosamente preservadas. Hoje, graças à universidade, a cidade possui população bastante jovem: um órgão de estudantes (cerca de 50 mil) que saboreiam todos os aspectos da cultura local andando de bicicleta e mantendo as praças e cafés cheios. O centro histórico da cidade ainda evoca os dias em que a universidade floresceu no final da Idade Media e do Renascimento como um centro de aprendizagem e arte, mas é preciso visitá-la durante o período letivo para testemunhar isso: a cidade no verão é bastante deserta e muitos turistas a ignoram, dando preferência à Veneza. Durante a alta temporada, quando hotéis em Veneza estão cheios demais, alguns preferem ficar na cidade, mas acabam aproveitando menos. Hoje a melhor maneira de conhecer Pádua é andando a pé por suas ruas e praças maravilhosas: a Piazza delle Erbe e a Piazza dei Frutti – local onde frutas são vendidas, oferecendo um retrato da vida cotidiana do local. Há também a Piazza dei Signori, rodeada por monumentos famosos como a Igreja de San Clemente e a Piazza Del Duomo, dominada pela sua majestosa Catedral que por dentro é decorada com grandes obras.

PADUA, ITALY - SEPTEMBER 11, 2014: Piazza dei Signori square wit

Dicas:

Os pontos turísticos mais importantes para quem estiver com tempo limitado é a Capela Scrovegni de Giotto (que foi completamente restauranda entre 1999 e 2001) e o local de peregrinação: a Basílica de Sant’Antonio di Padova. Numa praça logo à sua frente fica, também, a estatua equestre de Donatello.

As Colinas Euganei, famosas por sua riqueza botânica e águas termais, são uma paraíso natural ótimo para relaxar em estabelecimentos de saúde e bem-estar e praticar atividades ao ar livre. Diversas trilhas pelo coração do Parque Regional são excelentes para caminhar com excursões guiadas, praticar caminhadas nórdicas com varas apropriadas ou fazer Mountain Bike. Para despertar o paladar, a Roda do Vinho das Colinas Euganei é ótima para provar a excelente produção da região.

Vittorio Veneto, Serravalle

Treviso

A próspera e pequena cidadezinha fica no norte de Veneto e parece ter mudado pouco desde o tempo em que era um pequeno ponto de mercadinhos medievais e uma aliada incondicional de Veneza. Ainda é chamada com o antigo título de “Marca”, termo que pertence à Idade Média para indicar as fronteiras que durante a Primeira Guerra Mundial foram palco de acontecimentos heróicos. A cidade, que durante o século XVIII era local de férias de aristocratas venezianos, precisou ter grande parte reconstruída após danos da Segunda Guerra Mundial. Os palácios medievais de Treviso e casas com belas fachadas, igrejas do seguidor de Giotto, Tomaso da Modena, ruas agradáveis atravessadas por belos canais formam uma adorável ruptura da batida turística de Pádua-Vicenza-Verona. Há ainda os museus “Diocesano d’Arte Sacra”, com itens do século 13 e várias esculturas medievais, aberto de segundas a quinta-feiras e aos sábados, e o “Bailo”, que contém uma notável coleção de relíquias de bronze antigas e fica aberto de terças à domingos.

fruit and vegetable stall with the grocery store

Dicas:

Treviso oferece grandes áreas de natureza intocada entre montanhas, serras, planícies e rios. Os picos de Grappa e Montello são excelente ponto de partida para os que gostam de voar de asa delta. Aqueles que não gostam de voar sozinhos podem praticar a atividade com ajuda de especialistas.

Fãs de escalada encontraram locais ideais e, também neste caso, podem contar com ajudas de guias especialistas para experimentar as trilhas. É possível explorar as montanhas com itinerários de trekking com vários níveis de dificuldade diferente e pode-se praticar equitação e Mountain Bike. A província de Treviso é um paraíso para o ciclismo, com trilhas que podem ser escolhidas de acordo com quilometragem e dificuldade desejada.

A cidade tem a Festa da Assunção, uma semana com teatro de rua, dança, competições de música e outras performances que acontece em Agosto. O mercado de peixes, nas ilhotas do canal Cagnan, é um ponto pitoresco da cidade, sendo melhor visitá-los de manhã. A cidade também abriga uma feira de antiguidades que acontece no quarto domingo de cada mês, exceto em Julho, no Borgo Cavour.

 

 

 

Comentários

Powered by Facebook Comments