condomíniossegurança

BOLETIM ASCONHSP

Publicado em: 5/06/2014

Condomínios fechados:

Segurança, como ser eficaz

Pesquisa mostra formas de previnir à ação criminosa e a necessidade de todos os moradores contribuirem

Os números dos assaltos e dos crimes envolvendo condomínios têm crescido constantemente, acompanhando, infelizmente, os índices do país que são comparados a uma guerra civil. Em virtude desse aumento da violência, as técnicas, os equipamentos e as informações, relacionadas à segurança, se desenvolvem e buscam o aperfeiçoamento constantemente.

Para diversos especialistas em segurança e empresas especializadas no assunto, adotar medidas cotidianas ajudam muito na prevenção. Deve-se adotar práticas diárias e constantes para evitar riscos à própria vida e a preservação de bens materiais. Por exemplo: nos condomínios, sejam nas áreas comuns ou em sua moradia, é de suma importância conhecer os detalhes e dados de quem frequenta e trabalha, seja o jardineiro, uma diarista ou até mesmo um colega distante.

Ter conhecimento e informação de tudo o que envolve o dia a dia do condomínio é fundamental, ter ciência de dicas reais de como se precaver para evitar desagradáveis surpresas, também, porém é necessário que os moradores e os funcionários coloquem na prática esse conhecimento. Por isso é necessária uma perfeita integração com a segurança interna e externa, com uma auxiliando a outra, a fim de evitar conflitos de atitudes e ações. Os moradores também devem fazer a sua parte, colaborando com a fiscalização e compreendendo a necessidade de se submeter às ações que gerem segurança e confiança, por exemplo, a ronda dos vigilantes tem a intenção de humanizar e estreitar a relação com os condôminos. Nota-se que a presença física e constante de seguranças especializados e vigilantes acompanhados de cães treinados, ajuda a afugentar e a diminuir pessoas mal intencionadas e até possíveis consumidores de drogas, portanto colabore com esses profissionais.

Mesmo seguindo várias regras e dicas, às vezes, não surte efeito e o condomínio é alvo de ladrões, principalmente em assaltos a casas cujos donos viajaram. Entretanto existem algumas regras básicas para evitar esse ocorrido, por exemplo: não deixar ninguém perceber que a casa está vazia, para isso existem tecnologias que trabalham a seu favor. Existem chips que acendem as luzes em vários ambientes, ligam à televisão e aparelhos de som e produzem uma sensação de que tem pessoas na residência. Outra dica importante é pedir para um conhecido, em quem você tenha total confiança, recolher sua correspondência e o jornal.

Outro ponto muito discutido por todos os trabalhadores do setor de segurança é o de não reagir em situação de assalto, mesmo assim, diversas pessoas adotam uma postura de confronto, olhando direto no rosto do bandido e às vezes, até, luta corporal. Para evitar que algo de ruim aconteça nessa situação adote a tranquilidade e tente, ao máximo, manter a calma. Os ladrões e criminosos, normalmente, são covardes, pois atacam em grupo e suas reações são de atirar quando algo sai “errado”, por isso é tão necessário manter o sangue frio, afinal a vida humana não tem preço.

A seguir apresentamos mais algumas dicas e informações do que você pode fazer para aumentar o seu nível de segurança, não deixe de ler.

 

Proteja-se! Saiba como os bandidos entram nos condomínios:

 

Ladrões de condomínios são tranquilos e profissionais. Ao invadir as casas fazem parecer que tudo está bem e dentro da normalidade. Caso você seja a vítima, tente mostrar para a segurança interna que algo não está normal em sua residência ou ao entrar no condomínio.

Inúmeros condomínios adotam a cerca de alarme de aço, por economia. Os assaltantes levantam a cerca com um guarda-chuva e como o aço dificilmente rompe o alarme não dispara. O ideal é fio de cobre que se quebra com mais facilidade.

Não deixe escadas à mostra, pois elas facilitam o acesso a alguma janela aberta.

Os criminosos costumam provocar latidos nos cachorros por noites seguidas, mas não invadem a residência. A segurança interna é chamada, porém não encontram nada de mais, entretanto depois de alguns dias com essa técnica os vigilantes não aparecem mais, achando se tratar de alarme falso. É ai que os bandidos entram em ação.

Os assaltantes costumar aproveitar as viagens para fazer uma chave falsa da casa.

Crianças cooptadas por assaltantes, podem entrar com mais facilidade através de muros ou grades e abrir por dentro as residenciais para os criminosos.

portaria4

Comentários

Powered by Facebook Comments