turismoviagem

Conheça Edimburgo, a beleza sombria da capital escocesa

Publicado em: 8/04/2014

Erguida entre antigos vulcões e penhascos rochosos, Edimburgo virou patrimônio da humanidade pela Unesco devido às belezas arquitetônicas e riqueza cultural

 

Por Jean-Marc Ferret

Erguida entre antigos vulcões e penhascos rochosos, Edimburgo virou patrimônio da humanidade pela Unesco, devido às belezas naturais e sua riqueza cultural. Muitas das paisagens exuberantes já foram até cenário de filmes hollywoodianos, como Coração Valente, Highlander e Guerreiro Imortal.

Localizada às margens do rio Firth of Forth, a metrópole divide-se em duas partes. A Cidade Velha (Old Town) concentra os principais pontos históricos e as construções medievais. Enquanto a Cidade Nova (New Town) exibe o lado mais moderno, dinâmico e elegante.

Mesmo longe de ter um milhão de habitantes, Edinburgh, como é chamada em inglês, abriga uma das maiores populações estudantis da Europa. A diversão é garantida em seus museus, galerias, pubs, restaurantes, lojas, parques e campos de golfe. Sem contar os inúmeros festivais de verão, que estão cotados entre os melhores do continente.

Para vivenciar o que há de melhor na Escócia, não hesite em escolher a capital do país símbolo da saia masculina, da gaita fole e do uísque. Certamente, Edimburgo é um lugar de primeira classe para conhecer e estudar.

Royal_Mile,_Edinburgh

Passeios

Sem titubear, comece o roteiro pelo centro histórico e vá direto ao maior cartão-postal da cidade. Trata-se do Castelo de Edimburgo, que fica no alto de uma colina e oferece magnífica vista da metrópole. Construído no século 11, o castelo medieval que foi residência e fortaleza real durante muito tempo, possui um colorido jardim e uma capela de centenas de anos.

De lá, siga para o palácio de Holyroodhouse. Considerado a residência oficial da rainha Elisabeth na Escócia, só fica fechado quando a realeza estiver hospedada, o que não há data certa. Na mesma linha de construções antigas e imponentes, a Casa do Parlamento e a Catedral de St. Giles são outros lugares importantes para visitar.

As ruelas de Old Town (Cidade Velha) se mostram um verdadeiro passeio à Idade Média. A grande atração da região chama-se Royal Mile, uma rua repleta de casas históricas transformadas em lojinhas, pubs e museus. Não tão distante dali, fica o Princes Street Gardens, parque preferido dos escoceses e turistas. As tardes ensolaradas estimulam muita gente a fazer piquenique nos jardins.

Outro local que merece o devido destaque é o Arthur’s Seat, o maior pico das colinas que dominam a paisagem de Edimburgo. A montanha de origem vulcânica, de 251 metros, é um dos símbolos da cidade e está localizado a pouco mais de um quilômetro do Castelo de Edimburgo. Muitos turistas têm o costume de fazer trilhas pelo Arthur’s Seat, uma vez que os trajetos geralmente não são tão exaustivos e as vistas sempre recompensam o esforço. A trilha mais puxada é a que vai até o topo do pico, mas só é recomendado ir até o ponto mais alto se não houver muito vento.

Além de toda beleza da cidade, Edimburgo é um lugar extremamente sombrio devido à sua arquitetura escura e seu histórico composto por fantasmas e seriais killers, como os famosos William Burke e William Hare. Achar tours assustadores por essas partes da cidade é bem comum e são divertidos passeios noturnos. Edimburgo é também famosa por ser a cidade base de inspiração e descrita em diversos livros da saga Harry Potter. J. K. Rowling escrevia em locais, como o Nicolson’s Cafe e The Elephant House, sempre acompanhada de sua primogênita. Existem, portanto, diversas opções para os fãs de Harry Potter explorarem a cidade em busca de pistas de suas inspirações.

View_of_Arthur's_Seat_from_Edinburgh_Castle

Cultura

Repleta de castelos e ruelas e composta por uma arquitetura no melhor estilo medieval, Edimburgo tem uma história rica e é convidativa para quem deseja viajar pela Idade Média. A cidade manteve os traços do passado e tornou-se contemporânea ao mesmo tempo. Hoje é considerada um dos principais centros culturais da Europa, pois, além de reunir uma rica variedade de museus e galerias (a maioria gratuita), promove uma série de festivais artísticos, sobretudo no verão.

As coleções de arte e acervo histórico, que representam a cidade e o país, se espalham por diferentes locais. São eles: Museu de Edimburgo, Galeria Nacional da Escócia, Galeria do Retrato Nacional Escocês, Museu Royal, Museu da Escócia, Galeria Nacional de Arte Moderna e Museu dos Escritores.

Dentre esses museus e galerias citados, o principal e que talvez mereça maior destaque é o Museu Nacional de Edimburgo. O Museu Nacional da Escócia fica bem no centro da cidade, encostado da Universidade de Edimburgo e da Famosa Royal Mile. Ao chegar ao local, o visitante tem ao seu redor diversas peças para serem apreciadas. Trata-se de uma exposição democrática, uma verdadeira volta ao mundo, do passado ao futuro, desde animais de todos os tipos e tamanhos e pedras preciosas, passando por múmias, sarcófagos e  estátuas do Egito, uma coleção de máscaras e também de carros, até chegar à figura empalhada da ovelha Dolly, exposta em uma plataforma giratória cercada por computadores que explicam a polêmica história da clonagem do animal.

Edimburgo inovou também na construção do Scotch Whiskey Experiencie, um museu inteiramente dedicado ao uísque, fazendo jus à fama escocesa na arte de produção da bebida tão apreciada em todo o mundo.

No quesito teatro e espetáculos, a cidade não fica devendo em nada. As melhores peças podem ser vistas no Traverse Theatre, enquanto os shows de dança e música folclórica se passam nos folk clubs. Em agosto, o Festival Internacional de Edimburgo vira ícone cultural do país. O megaevento apresenta performances de música clássica, ópera, balé, drama e comédia em palcos ao ar livre.

Os cinéfilos também estão bem servidos com o Filmhouse, o mais importante cinema da cidade. Sede de eventos culturais em geral, o local é palco do Festival de Filmes de Edimburgo, um dos mais antigos do mundo.

E tem mais: chamada de “Atenas do Norte”, Edimburgo mantém honrosa tradição no campo intelectual. A Universidade de Edimburgo, uma das maiores e mais prestigiadas do Reino Unido, já produziu pensadores e cientistas capazes de mudar o mundo. A maior personalidade nascida na cidade atende por Alexander Graham Bell, o inventor do telefone. Outro filho ilustre foi o escritor Artur Conan Doyle, criador do famoso detetive Sherlock Holmes. Até o britânico Charles Robert Darwin, pai da teoria da evolução e da seleção natural, passou por lá para estudar medicina.

 

Diversão

Não dá para ficar parado ou dormindo à noite em Edimburgo. A cidade oferece centenas de pubs para se divertir até altas horas em qualquer dia da semana. Em muitas casas, cerveja e uísque combinam com shows ao vivo de jazz e folk music.

Os chamados folk clubs também são famosos na cena noturna da capital escocesa. Trata-se de clubes com concorridas apresentações folclóricas de música e dança. O Assembly Rooms, na rua George, em New Town, exibe as melhores performances. Por outro lado, não se pode esquecer das típicas destilarias, casas produtoras do legítimo uísque escocês.

Mas, para a alegria mesmo dos jovens e turistas, Edimburgo brilha no verão como uma das cidades mais festeiras da Europa. A programação anual tem mais de dez festivais.  O ápice acontece em agosto, quando o Fringe Festival e o Festival Internacional de Edimburgo reúnem o que há de melhor em dança, música, ópera, mágica, cinema e teatro. A cidade fica tomada de gente, de manhã ao anoitecer. Ao passar pelas ruas, os turistas são abordados constantemente com uma infinidade de panfletos convidando para as diversas peças de teatro, shows, stand ups, enfim, os inúmeros eventos que acontecem na cidade.

Holyrood_palace_2009

Comida

A capital escocesa tem uma variedade de bons pubs e restaurantes para comer. No cardápio típico, não podem faltar carnes, batatas, frituras, cervejas e o bom e velho uísque. O prato mais tradicional é o haggi (miúdos de carneiros).

Ao mesmo tempo, Edimburgo nutre muitas influências da gastronomia internacional. Da comida indiana e tailandesa até a grega, da italiana até a francesa, é possível degustar quase todos os sabores do mundo. Por se tratar de uma cidade costeira, os peixes e os frutos do mar como lagostas, ostras e lulas merecem igual destaque nas refeições.

Uma dica: comer em Edimburgo não é tão barato, mas os restaurantes mais em conta ficam ao redor da rua Nicolson, próxima à universidade. As ruas Prince e Royal Mile concentram outras boas opções.

 

Transporte

Compacta e organizada, a cidade pode ser facilmente explorada a pé. O ônibus lá é mais barato do que em Londres e cobre os principais pontos e bairros. Cogite a opção do passe para um dia inteiro.

Uma rede ferroviária (a BritRail) também conecta Edimburgo a outras cidades escocesas e do Reino Unido – a capital inglesa, por exemplo, é relativamente perto.

Para quem preferir avião a trem, o aeroporto internacional está 10 km a oeste do centro. Já aos mochileiros, a melhor pedida fica por conta do passe para um micro-ônibus que faz um tour circular pela Escócia, parando em várias cidades.

Princes-Street-Gardens-Edinburgh

Comentários

Powered by Facebook Comments