pet

Convulsões em cães e gatos

Publicado em: 12/02/2014

Por Dr. Rafael Lessa

As convulsões são sintomas bastante agressivos visualmente. Por este motivo levam donos a correrem desesperados para um veterinário quando seu animal o apresenta.

Você sabe o que significa convulsão e de que modo tem que agir, caso veja um cão ou gato convulsionando?

As crises ocorrem por um excesso de atividade cerebral desordenada em um ponto do cérebro (ou em todo). Cada uma dessas situações geram respectivamente as convulsões focais ou generalizadas.

As focais são mais brandas e os tremores ocorrem em só uma parte do corpo e o animal fica consciente. Nas generalizadas, eles caem inconscientes, tremem, podem apresentar salivação, gritos, defecar e urinar. Ao término da crise, ficam por algum tempo com comportamento alterado, andando sem rumo, aparentando estar cegos ou mudam o temperamento. Esta fase dura em torno de dez minutos, podendo variar de poucos segundos a horas.

Durante a crise, não se pode em hipótese alguma colocar nada dentro da boca do animal. Ainda mais porque os cães podem morder e machucar seriamente. É mentira que podem se afogar com a própria língua! Também não pode jogar água nos animais diante dessa situação.

Deve-se esperar a crise terminar, tentando manter a calma e segurar a cabeça do animal a fim dele não se machucar. É preciso tomar cuidado para não cair do sofá, cama, escada, etc.

Se a crise demorar muito tempo ou se apresentar várias vezes seguidas, o animal deve ser levado com urgência a um atendimento veterinário, mesmo que durante a madrugada. Portanto, se for dono de um pet com este problema, converse com seu veterinário e peça que ele te indique um Hospital 24 horas de confiança para estas situações de emergência.

Como qualquer outro sintoma, as convulsões devem ser controladas com tratamento sintomático, mas isso não basta. O veterinário tem que realizar exames para identificar a causa.

Os testes realizados avaliam o funcionamento dos órgãos internos e às vezes identificam doenças graves. Algumas delas, quando controladas ou curadas, podem também extinguir as convulsões.

 shutterstock_125558561

  • Dr. Rafael Lessa é médico veterinário formado pela Universidade de Pinhal em 2004. Residência em Clínica Médica pela FMU em 2007. Especialização em Neurologia de Cães e Gatos pela Anclivepa em 2008. Membro das entidades Anclivepa e Sociedade Brasileira de Neurologia Veterinária. Faz parte da Equipe Clínica do Hospital Veterinário Pet Care. Responsável pelo Serviço de Neurologia do Hospital Veterinário Pet Care.

Comentários

Powered by Facebook Comments