pet

Meu Amigão

Publicado em: 22/10/2013

Nossa casa, nossos Pets….

 

Quando pensar em sua casa lembre que seu animal de estimação também é morador

 

Por *Dr. Marcelo Quinzani

Crdito Stock

 

A adaptação dos pets a nossa vida e ao nosso dia a dia incluí também a adaptação da casa e ao espaço que temos disponível. Se antigamente a maioria dos animais estava fadada a viver em quintais, muitas vezes soltos e com livre acesso à rua, hoje isso não mais acontece.

Para aqueles que vivem em quintais, a rua se tornou há muito tempo algo proibido ou pelo menos não recomendado, principalmente desacompanhados. Por isso temos que pensar em jardins e muros que impeçam o livre acesso ao lado externo, lembramos que raças mais ativas como o Border Collie podem saltar muros de mais de 1,5 metros de altura facilmente.

Já para aqueles confinados em apartamentos, a mudança de hábitos se torna muito mais evidente. Hoje restrição de espaço, solidão, inatividade física e  ter de aprender a fazer as necessidades dentro de casa ou em momentos pré-estabelecidos (durante os passeios) é a realidade da  maioria dos animais domésticos, como cães e gatos.

 

Na sua casa

Pensando no assunto, temos que lembrar dos pets durante o projeto arquitetônico da residência ou no momento de construir ou reformar. O cuidado pode definir de forma contundente a qualidade de vida dos nossos melhores amigos. Mesmo quando compramos um imóvel pronto temos que observar pequenos detalhes para uma vida mais segura e saudável para eles.

 

O que avaliar em um imóvel?

Evite escadas ou desníveis nas áreas em que o animal ficará a maior parte do tempo;

Cuide do isolamento das piscinas e lagos, pense em portões e delimitadores de espaço que impeçam o animal de ter livre acesso as áreas;

Busque ter piscinas com escadas de alvenaria por onde o animal possa entrar e sair sem ajuda;

Tenha guarda-corpo nos mezaninos e escadas, protegendo os animais de quedas, o que ocorre com frequência com raças pequenas;

Instale grades ou telas em janelas, sacadas e varandas. Item se segurança dos mais importantes para quem tem gatos;

Evite pisos lisos e escorregadios nas áreas onde o animal ficará a maior parte do tempo;

Pense em um local para “banheiro” que seja de fácil limpeza, com piso frio,  ralo e fonte de água para higienização;

Cuidado com portas de vidros, muitos animais não as enxergam e acabam trombando nelas;

Cuidado na escolha de plantas do paisagismo. Existe uma infinidade de opções tóxicas ou que usam adubos nocivos para cães e gatos;

Cuidado com tomadas e fios soltos, ao alcance de cães e gatos, principalmente se forem filhotes;

Tenha área destinada aos cães maiores como canis, casinhas, espaços para banho etc.

 

Sabemos que muitas vezes isso tudo não é possível, mas um planejamento prévio e a escolha de materiais e projetos adequados podem ser decisivos na segurança do seu animal e na qualidade de vida dele, especialmente quando se tornar idoso e sua mobilidade for reduzida.

 

* Dr. Marcelo Quinzani é médico veterinário e diretor clínico do Pet Care Morumbi

Comentários

Powered by Facebook Comments