agenda

Keith Haring em Paris

Publicado em: 6/06/2013

Por Rita Vanhooydonck

O Museu de Arte Moderna de Paris e o centro cultural Centquatre mostram, até o dia 18 de agosto, uma grande retrospectiva do artista americano Keith Haring (1958 – 1990). A Revista Residenciais foi conferir a maior exposição sobre o artista já realizada na França. São 250 obras, como telas, painéis, desenhos, cerâmicas que resumem o trabalho desse grande ícone pop da arte.

Keith Haring se inspirou nas artes tribais e primitivas (maias, arte africana), na pop art, na street culture que aflorava nos anos 80 nos EUA, e criou seu estilo único e inconfundível. Através de seus desenhos de traço forte, simples, colorido e emblemático, Haring se tornou um dos artistas mais conhecidos do planeta. Quem nunca viu seus “homenzinhos” frenéticos e coloridos?

1. Keith Haring.jpeg

© Keith Haring Foundation

Linha politica
A exposição realizada em Paris procura deixar claro o engajamento politico de Keith Haring. Ele lutava contra o racismo, a opressão, os excessos do sistema capitalista, a homofobia e a epidemia da Aids (que foi a causa de sua morte).

Esse pensamento critico fica muito evidente através da seleção das obras expostas no museu. O cachorro emblemático, que sempre aparece em suas pinturas, por exemplo, representa o estado e o sistema opressor americano. E os desenhos dos ‘homenzinhos’, típicos da obra subversiva de Haring, representam a massa, a sociedade ultra influenciada pela religião, pela mídia e pelo sistema imposto. A força da arte de Haring esta justamente nessa capacidade de expressar suas ideias políticas através de desenhos rápidos, coloridos, visualmente inteligíveis e extremamente contemporâneos.

11. Keith Haring

© Keith Haring Foundation

Arte visível a todos e a intervenção urbana
Haring começou bem cedo a exercer sua arte no espaço público, quando foi morar em Nova Iorque, em 1978. Sua intenção era de produzir uma arte que fosse acessível a todos. Keith ganhou notoriedade com seus desenhos feitos com giz (mais de 5000), nos murais do metrô da cidade. Na exposição de Paris, é possível ver alguns desses painéis originais do metrô, com os desenhos feitos por ele.

A imensa influência que Haring exerceu na historia do grafite moderno e na street art é reconhecida no mundo todo. Também foi graças a artistas como ele, e como Basquiat, que o grafite começou a ser cada vez mais considerado como arte. “O público tem direito à arte. O público foi ignorado pela maioria dos artistas contemporâneos, o público precisa da arte, ela é pra todos” dizia Haring.

O interessante da exposição é que não somente fica clara a maneira frenética de trabalhar de Haring, como também transparece a inquietação e a energia da década de 80.

Veja mais trabalhos do artista na galeria:


Serviço
Keith Haring, the Political Line – até dia 18/08/13
Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris
11, avenue du Président Wilson, 75116 Paris
www.mam.paris.fr

Comentários

Powered by Facebook Comments