bem estar

De que lado você dorme?

Publicado em: 17/08/2012

Por Isabela Reis Foto Marina Asabi

Você costuma dormir de qual lado da cama? Essa mera questão pode ter agora um novo significado em sua vida. Isso porque uma pesquisa realizada pela rede de Hotéis Premier Inn, com sede em Londres, apontou que quem tem a tendência de migrar para o lado esquerdo da cama é mais feliz do quem fica no direito, provando que aquela famosa frase “acordou do lado errado da cama” tem sentido. Segundo a pesquisa, os “canhotos” acordam mais bem dispostos, são mais alegres, otimistas, animados, confiantes, resistentes ao estresse e resolvem melhor os problemas.

O estudo não tenta explicar o porquê do fenômeno, mas os números são interessantes. Mais de um terço dos entrevistados, de um total de três mil pessoas, que dormem do lado esquerdo disseram ter uma visão positiva da vida em geral e dois terços são mais calmos em uma crise de relacionamento, tem mais confiança e são mais suscetíveis a ficar em um trabalho fixo.

Além disso, 31% dos “esquerdistas” afirmaram estar satisfeitos com a vida profissional, em comparação a apenas 18% dos que preferem o lado direito. Sendo que um em cada dez entrevistados que afirmaram dormir do lado direito declararam que odeiam o trabalho deles.

Mas, a notícia não é tão ruim para quem dorme do lado direito. Apesar de não acordarem de bom humor, os “destros” se saem bem no quesito financeiro. De acordo com a pesquisa, eles tendem a ganhar mais do que quem dorme do lado esquerdo. Outro dado interessante que o estudo apurou é que 50% daqueles que dormem do lado esquerdo se recusam categoricamente a trocar de lado na hora de dormir. Além disso, 75% dos entrevistados afirmaram achar estranho mudar de lado.

A professora de ensino médio Isabel Oliveira afirma que dorme do lado esquerdo, mas não conhecia a pesquisa. “Sou uma pessoa feliz e realizada, mas, sinceramente, não sei da relação disso com o lado em que durmo”. Entretanto, ela diz que não gosta de dormir do lado direito. “Mudar o lado de dormir atrapalha meu sono. Às vezes até me faz acordar um pouco mal humorada. Prefiro não trocar de lado”, revela.

O que a medicina diz

Já do ponto de vista médico, a pesquisa não apresenta um sentido lógico. O diretor do Laboratório do Sono do Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Geraldo Lourenzi, afirma que o estudo é um pouco incipiente. “Não vejo nenhuma lógica partindo do ponto de vista médico e também não conheço nenhuma pesquisa científica relacionada ao assunto”, conta. O estudo partiu de entrevistas e, segundo Lourenzi, as respostas dadas podem ser uma mera coincidência.

Comentários

Powered by Facebook Comments