bem estar

Elas engordam no casamento. Eles, no divórcio

Publicado em: 10/11/2011

Por Paula Torres Arte Marcos Wagner

Dois cientistas norte-americanos da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, confirmaram o que o senso comum já nos dizia há muito tempo: casar engorda.

Dmitry Tumin e Zhenchao Qia, autores da pesquisa, analisaram mais de 10 mil pessoas entrevistadas entre 1986 e 2008 pelo Departamento de Trabalho dos Estados Unidos. O intuito do estudo era descobrir depois de dois anos, após o divorcio ou casamento, o quanto cada indivíduo havia engordado.

A pesquisa revelou que, após 30 anos, a mudança brusca da rotina, como casar ou se divorciar, leva as pessoas a engordar independente do sexo, e que esta elevação no peso pode gerar riscos à saúde.

O padrão, mulher engorda quando casa e homem quando se divorcia, foi caracterizado em boa parte dos resultados. “Conforme se envelhece, uma mudança radical na vida, como um casamento ou um divórcio, é um choque maior do que teria sido na juventude, e isso pode ter impacto no peso”, comenta Dmitry Tumin.

Para o coautor da pesquisa Zhenchao Qia, a explicação das mulheres engordarem mais do que os homens durante o casamento surge do fato de elas não terem tempo para praticarem exercícios físicos. Já os homens casados obtêm uma vantagem importantíssima neste aspecto, pois as mulheres os guiam para um caminho alimentar mais saudável.

Já a explicação para os homens engordarem quando se divorciam, advém do fato do descuido pessoal: sem a mulher para ajudar na organização da casa e das tarefas diárias, eles ficariam mais propensos a ganhar peso. Além disso, o homem sozinho abusa de frituras e das comidas fast food.

A silhueta: reflexo da responsabilidade

O neurologista e professor de psiquiatria da USP (Universidade de São Paulo) Sidney Chioro, especialista em emagrecimento, ressalta que aqui no Brasil é frequente o homem casar e aumentar a silhueta, refletindo as responsabilidades do casamento no peso. Já as mulheres engordam quando o papel de mãe demonstra sinais claro no corpo, após terem filhos.

Paula Belmino, de 36 anos, está casada há 6. A rotina e os hábitos alimentares mudaram bastante após o casamento, o que resultou na mudança nos ponteiros da balança que passaram dos 43 para 64 kg. “Antes de casar, morava em Natal. Lá, eu dançava, caminhava e andava. Aqui em São Paulo, divido meu tempo entre duas escolas e nas horas vagas só durmo”, conta.

Mudanças radicais na vida, como casamento e divórcio, colocam as pessoas em situações diferentes, que geram emoções, fazendo-as comer por impulso ou obter uma prisão intestinal. “Diferentes momentos da vida podem levar as pessoas a engordarem devido ao psicológico. Emoções as levam a comer, e situações da vida refletem no aumento da retenção intestinal”, explica o neuropsiquiatra.

A vida corrida da pedagoga faz com que ela não tenha tempo para ir a uma academia ou praticar exercícios físicos ao ar livre. “Meu dia é para o trabalho. À noite tenho pouco tempo para ficar em casa com minha filha. Assim, não faço exercícios; o máximo que faço é ir andando para a segunda escola após o almoço.”

Mãe de uma menina de 5 anos, Paula sempre está tentando emagrecer, controlando a alimentação, porém, como é muito ansiosa, acaba pecando na hora da sobremesa, e abusa nos doces. Ela acredita que o casamento faz a mulher engordar sim, e sem que as mulheres percebam, acabam se descuidando da aparência. “No casamento, você muda de ares, de atitudes; está mais desencanada pelo fato de não precisar passar uma bela imagem para conquistar. Parece que, pelo fato de estar casada, você acaba descuidando da beleza e do corpo”, reclama.

Sidney Chioro explica que para a pessoa emagrecer, neste caso, é necessário retirar o impulso de comer e melhorar a eliminação intestinal. Essas, segundo ele, são as duas razões mais comuns de as pessoas engordarem. Chioro lembra que hoje já existem métodos que trabalham essa situação sem precisar de regime ou remédios, agindo direto na raiz do problema.

Comentários

Powered by Facebook Comments