variedades

A linguagem do amor

Publicado em: 10/10/2011

Por Paula Torres Foto Ricardo Lenta

Casais felizes costumam expressar sentimentos por meio de apelidos carinhosos, palavras no diminutivo e alterações no tom de voz com o passar do tempo. Esta observação chamou a atenção do psicólogo americano James Pennebaker que conduziu uma pesquisa na Universidade do Texas sobre a linguagem do amor.

O estudo revelou que pessoas apaixonadas usam as mesmas preposições, pronomes, artigos e conjunções usadas frequentemente por outros casais. O pesquisador reuniu 80 homens e mulheres, desconhecidos, e pediu para que eles conversassem entre si. Após a conversa, o psicólogo perguntou sobre a possibilidade de saírem juntos. Pessoas que usaram estilos de fala parecidos estavam mais abertas a saírem, mesmo não tendo pontos em comum.

Para o psiquiatra e professor da Unicamp, Jair Franklin de Oliveira Júnior, a escolha do parceiro é feita de forma inconsciente por meio da fala que revela personalidade, interesses e valores, mesmo uma pessoa não tendo compatibilidade com a outra. “O que mais se vê é a atração entre opostos. Geralmente procuramos no outro o que falta em nós”, aponta Oliveira Júnior.

Um segundo estudo realizado por James Pennebaker analisou conversas em bate papo de casais durante 10 dias. Aqueles, cuja escrita era similar, ainda estavam namorando três meses depois.

Ana Lúcia Vilela, desde o início do namoro possui escritas similares ao de seu namorado Gabriel Campos, nas páginas de relacionamento da internet, SMS e bate-papo. Códigos várias vezes indecifráveis, apelidos carinhosos e desenhos fazem parte da conversa do casal de estudantes que estão felizes juntos há um ano e seis meses. “Nós acostumamos assim desde o começo” conta a estudante.

Palavras refletem sentimentos

As palavras que usamos refletem muitas vezes nossos sentimentos e pensamentos de forma imprevisível. Por meio delas, é possível identificar a cultura, o nível social e até mesmo prever o sucesso de um relacionamento. A maneira como as pessoas se tratam mostra o quanto estão em sintonia.

Segundo Oliveira Júnior, quando o casal consegue escutar e valorizar a fala do outro, se respeitando, é sinal de sucesso no relacionamento, como é o caso do casal Mara Melle e Valdir Ifanger, casados há 22 anos. “Nunca levantamos a voz um para o outro. Sempre tivemos muito respeito e cuidado com as palavras” revela Mara.

Já quando um impõe sua fala sobre o outro, com gritos e críticas excessivas, provoca a desvalorização da imagem do outro. Esse comportamento denota sinal de fracasso no relacionamento, como aconteceu com Letícia Vilela.

Letícia terminou o namoro de três anos porque o respeito acabou. No começo da relação, se tratavam com carinho e cumplicidade, mas com o passar do tempo, a relação foi se desgastando. Alterações de voz e palavras rudes eram frequentes no dia-dia do casal. “No começo estava tudo bem. Depois foram surgindo brigas e discussões. Deixamos de nos falar carinhosamente um com o outro”, lembra Vilela.

Comentários

Powered by Facebook Comments