destaques

Gastroplastia Endoscópica chega à Região Metropolitana de Campinas

Publicado em: 3/05/2017

Novo procedimento, que reduz o tamanho do estômago através de endoscopia, começa a ser realizado em breve pelo Grupo de Cirurgia Bariátrica de Valinhos

 

Concon - à esquerda- durante treinamento nos Estados Unidos

 

O Grupo de Cirurgia Bariátrica de Valinhos / Clínica Concon está trazendo para a RMC (Região Metropolitana de Campinas) a Gastroplastia Bariátrica Endoscópica. O procedimento, realizado através de endoscopia, é o mais novo tratamento endoscópico para a obesidade e deve começar a ser feito pela equipe de Valinhos entre os meses de junho e julho deste ano, quando será concluída a importação da primeira remessa dos equipamentos, fabricados exclusivamente nos Estados Unidos.

 

O cirurgião Admar Concon Filho, especialista em cirurgia digestiva e em endoscopia digestiva, faz parte do primeiro grupo de endoscopistas brasileiros treinados na Florida International University, nos Estados Unidos, em setembro de 2016, para realizar o procedimento. A Gastroplastia Bariátrica Endoscópia, que foi liberada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no fim do ano passado, ainda é uma novidade no País. Apenas três pacientes foram submetidos a ela, na Faculdade de Medicina do ABC. Nos Estados Unidos e na Europa, no entanto, ela já é realizada há mais de três anos.

 

A Gastroplastia Bariátrica Endoscópica foi desenvolvida e aperfeiçoada pelo médico endoscopista brasileiro Manoel Galvão Neto, que a está ensinando a médicos de vários países. Apesar de ser mais uma opção para a redução do estômago, o procedimento se difere das demais técnicas de cirurgias bariátricas já existentes. “O principal diferencial é que ela é um tratamento não cirúrgico e, portanto, é menos invasiva, sem cortes. Os riscos do pós-operatório são menores e a recuperação, mais rápida. O paciente passa apenas uma noite no hospital, logo tem alta e, em poucos dias, pode voltar ao trabalho”, explica o cirurgião.

 

A Gastroplastia Bariátrica Endoscópica também é destinada a um outro tipo de paciente, com IMC (Índice de Massa Corporal) entre 27 e 34,9, já que a perda de peso estimada é de 20% do peso inicial. As cirurgias bariátricas convencionais são indicadas para pacientes com IMC acima de 35, que apresentam comorbidades (doenças relacionadas à obesidade), e acima de 40, sem a necessidade de comprovação de doenças. A perda de peso, nas técnicas tradicionais, gira em torno de 30% a 40% do peso inicial.

 

“Por isso, indicamos a Gastroplastia Bariátrica Endoscópica para pessoas que não precisam perder muito peso. Alguém com 1,70m e 150 quilos, por exemplo, tem um IMC de 51,9. Se ele for submetido a esta técnica, vai perder cerca de 30 quilos e seu IMC vai passar para 41,5. Ainda assim, será uma pessoa obesa”, explica Concon.

 

Vários pacientes já começaram a procurar os serviços médicos que vão realizar o procedimento. “Muitas pessoas estiveram na clínica interessadas em fazer a Gastroplastia Endoscópica. Em breve, já vamos começar a prepará-las para o procedimento. Só estamos esperando chegar o equipamento”, conta o cirurgião. A Gastroplastia Bariátrica Endoscópica é realizada através de um endoscópio flexível, com uma câmera de alta resolução e uma agulha na ponta. A exemplo de uma endoscopia tradicional, ele é inserido pela boca do paciente até chegar ao estômago, que é grampeado e reduzido por suturas. A redução é de 50% a 60% do tamanho inicial do órgão.

Comentários

Powered by Facebook Comments