comportamento

Cura das grandes doenças e prevenção do envelhecimento

Publicado em: 9/08/2016

Uma nova geração de drogas, baseada em processo natural do corpo humano, autofagia, pode estar a caminho, graças à pesquisa da Universidade de Warwick

 

concept of aging and skin care

Por Luke Walton

O Dr Loannis Nezis, da Escola de Ciências da Vida, levou uma equipe de investigação para identificar e criar uma base de dados: as proteínas necessárias para um processo celular essencial, autofagia, que mantém nosso corpo saudável, mas que diminui à medida que envelhecemos.

A melhor compreensão de como estas proteínas funcionam, poderia levar ao desenvolvimento de medicamentos para acabar com este declínio e manter as células saudáveis ​​por mais tempo – evitando assim grandes problemas em geral relacionados à idade, como câncer, doença de Crohn, doenças neurodegenerativas e também infecções virais e bacterianas.

A equipe de investigação do Dr Nezis identificou mais de 700 proteínas previamente desconhecidas, que estão relacionados com a autofagia, e criou um banco de dados com todas estas informações sitematizadas. Isso permitirá que a comunidade científica possa experimentar e descobrir maneiras de ativar a autofagia dentro das células humanas.

A autofagia é um processo essencial, durante o qual nossas células consomem e destroem quaisquer partes de si que são prejudiciais ou danificadas, e que poderiam causar doenças graves se deixadas sozinhas e intactas. Este processo celular naturalmente diminui à medida que envelhecemos, de modo que os seres humanos, quanto mais velhos, são menos capazes de ejetar infecções prejudiciais e mutações, deixando-os mais propensos à doença e degeneração.

Dr Nezis explicou como esta investigação poderia impactar o mundo farmacêutico: “Nosso novo recurso de banco de dados irá abrir vários novos caminhos na ciência básica e translacional. Identificar novas proteínas seletivas relacionadas com a autofagia irá colaborar para o desenvolvimento de novos alvos de drogas farmacêuticas, para uma grande variedade de doenças como câncer, neurodegeneração e doenças relacionadas ao envelhecimento: infecções, diabetes, obesidade e doença de Crohn”.

“É importante ressaltar a compreensão dos mecanismos moleculares de autofagia seletiva, que irão ajudar os investigadores a encontrar intervenções para ativar a via autofágica, para prevenir o envelhecimento e promover saúde e bem estar durante o  percurso da vida”. Dr Nezis continuou.

A Escola de Ciências da Vida da Universidade de Warwick é pioneira na investigação fundamental neste campo, bem como a criação desse banco de dados crucial de proteínas, relacionadas à autofagia. O laboratório fundou ainda o Autophagy UK Network, um grupo dedicado a reunir especialistas deste processo celular de todo o país.

Press Release – Luke Walton, International Press Officer, University of Warwick

Artigo: iLIR database: a web resource for LIR motif-containing proteins in eukaryotes, Anne-Claire Jacomin, Siva Samavedam, Vasilis Promponas & Ioannis P. Nezis, Autophagy, doi: 10.1080/15548627.2016.1207016, published online 2 Aug 2016.

Comentários

Powered by Facebook Comments